A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente, num círculo muito restrito do seu ser potencial. Elas fazem uso de uma parte muito pequena de sua consciência possível.


( William James)


sábado, 23 de outubro de 2010

A GRANDE ONDA


Muitas vezes nós paramos para pensar se vale a pena seguir por certo caminho quando tudo e todos vão em outra direção. Você está num rio e quer chegar a um lugar na direção contrária de onde a água corre, pois descobre existir um oásis lá em cima, onde os corpos são mais leves e as palavras são desnecessárias; onde há apenas a verdade sobre quem somos e podemos viver na plenitude de nós mesmos. Seguir com a correnteza ou lutar contra ela? Lutar seria perda de tempo quando a força da água é mais intensa que você, pois mesmo que vá longe, cedo ou tarde irá cansar. Então como fazer? Tentar, tentar e tentar? Não.



Você deve estudar para clarear a mente e entender que pode chegar ao seu destino sem problema se sair do rio e seguir por terra.
A vida é um rio, cuja correnteza é invencível e de cuja margem poucos têm conhecimento. 90% das pessoas deixam a vida levá-las, queixando-se quando vão parar onde não querem ir e lamentando-se por não terem controle sobre suas vidas. São seguidoras. Seguem o senso comum. Seguem o rebanho e descartam, depreciam, condenam, machucam, matam todos aqueles que seguem seus próprios caminhos. Não aceitam a ideia de que há um jeito de sair da correnteza; de subir o rio sem se molhar; de terem controle de onde vão parar. Não acreditam que há escolha.



Você, querido leitor, que acompanha essas linhas faz parte dos 10% restantes. Você já sabe da margem, já sabe que para subir o rio, pode fazê-lo por terra e já não segue mais o senso comum. A solidão pode já estar fazendo parte de sua vida, pois seus pensamentos não encaixam com os das outras pessoas. Você vê a margem, mas sabe que ainda não chegou nela, por isso às vezes desanima, tem dúvidas se o que vê é real ou apenas uma ilusão de ótica. Os outros lhe dizem o quão tolo você é, e às vezes, algumas vezes, você acredita neles. Mas então você vê mais nitidamente a terra e continua em sua direção, embora pareça que nunca vai chegar lá.
E sabe por quê? Por que você ainda não está compreendendo quem realmente é e em que posição se encontra. Ainda olha na mesma altura que os demais, mesmo que os pensamentos já não sejam afins.



Você ainda está agachado na água. Levante-se e perceba que a água bate na sua cintura, que todos estão agachados, por isso não conseguem enxergar a margem, por isso zombam de você quando diz o que sabe. Você ainda está estancado no conformismo, no costume e na programação prévia. Percebe o mundo de um jeito novo, mais ainda o vê do jeito antigo. Sabe da margem, mas não estudou e pôs em prática como alcançá-la. Apenas fica aí, pensando nela, sonhando com ela, falando sobre ela. Mas ela não irá até você. Vá até ela!
Saber o que você sabe não é um privilégio, não é uma dádiva, não se engane. Embora num mundo totalmente contra, também não é um fardo. O conhecimento sempre esteve com você, comigo e com todos. Compreenda, querido leitor, que você não vai conseguir ficar alheio ao que sabe. Pode tentar, pode querer esquecer tudo e voltar para o materialismo, mas não vai nunca mais ser quem era anteriormente. Sua consciência já expandiu, sua frequência já se elevou, sua alma já abriu os olhos. Quanto mais tentar fugir, mais tormentos irá sentir. A verdade é pesada demais para esquecê-la.



O tempo é curto, querido leitor, não tenho receio de repetir. Tão curto que uma grande onda logo, logo irá levar todos aqueles que ainda estiverem no rio. Por isso, eu peço para que você começe logo a caminhada para chegar à margem. Saber não é um privilégio, pois não é um presente, faz parte de todos nós, é algo que sempre foi nosso, mas você ainda é a pessoa mais importante do mundo.


Você sou eu.
Eu sou você.
Nós somos todos.
Todos são tudo o que há.



Há pessoas que irão sobreviver à onda que percorrerá o rio, mas ficarão perdidas e desoladas, sem saber o que aconteceu, pois o rio irá secar, de tempos em tempos ele seca. A água se esvairá e todos aqueles que nunca se levantaram, irão ter dificuldades. Eles precisarão daqueles que estiverem na margem para ajudá-los a levantar e caminhar, e para fazerem companhia rumo ao óasis que se encontra margem acima. Por isso, eu peço:

Levante-se, alcance a margem e seja livre de uma vez por todas!


Fique na Paz.



3 comentários:

  1. Olá!!!

    Estou aqui mais uma vez, como disse gosto muito dos seus textos, gostaria de indicar um filme que achei no you tube chama-se A onda é de 1981,
    O filme “A onda” [The wave][1] tem início com o professor de história Burt Ross explicando aos seus alunos a atmosfera da Alemanha, em 1930, a ascensão e o genocídio nazista. Os questionamentos dos alunos levam o professor a realizar uma arriscada experiência pedagógica que consiste em reproduzir na sala de aula alguns clichês do nazismo: usariam o slogan “Poder, Disciplina e Superioridade”, um símbolo gráfico para representar “A onda”, etc.

    O professor Ross se declara o líder do movimento da “onda”, exorta a disciplina e faz valer o poder superior do grupo sobre os indivíduos. Os estudantes o obedecem cegamente. A tímida recusa de um aluno o obriga a conviver com ameaças e exclusão do grupo. A escola inteira é envolvida no fanatismo d’A onda, até que um casal de alunos mais consciente alerta ao professor ter perdido o controle da experiência pedagógica que passou ao domínio da realidade cotidiana da comunidade escolar.

    O desfecho do filme é dado pelo professor ao desmascarar a ideologia totalitária que sustenta o movimento d’A onda , denuncia aos estudantes o sumiço dos sujeitos críticos diante de poder carismático de um líder e do fanatismo por uma causa.

    Embora o filme seja uma metáfora de como surgiu o nazi-fascismo e o poder de seus rituais, pode conscientizar os estudantes sobre o poder doutrinário dos movimentos ideológicos políticos ou religiosos. O uso de slogans, palavras de ordem e a adoração a um suposto “grande líder” se repetem na história da humanidade: aconteceu na Alemanha nazista, na Itália fascista, e também no chamado ‘socialismo real’ da União Soviética, principalmente no período stalinista, na China com a “revolução cultural” promovida por Mao Tsé Tung, na Argentina com Perón, etc. Ainda, recentemente, líderes neo-populistas da América Latina, valendo-se de um discurso tosco anti-americano, conseguem enganar uma parte da esquerda resistente a aprender com a história.

    Bjsss

    ResponderExcluir
  2. A Andrômedra:

    Olá flor! olha eu concordo com vc qdo diz
    ''pode conscientizar os estudantes sobre o poder doutrinário dos movimentos ideológicos políticos ou religiosos. O uso de slogans, palavras de ordem e a adoração a um suposto “grande líder” se repetem na história da humanidade''

    Com certeza isto foi tudo o que aconteceu..projeção de poder onde algumas pessoas viam e veêm no líder o poder de domínio que o mesmo não se julga capaz e os que se julgam e necessitam dominar, oprime e comanda.

    Acredito piamente que na nova era que já está se iniciando, não haverá Domínio algum..apenas o auto domínio, ou seja as pessoas terão consciência cósmica e senso de unidade com tudo e todos. Acredito também que viveremos como numa grande comunidade global onde, compartilharemos tudo com os demais como uma verdadeira irmandade. Não haverá centralização de poder, todos saberão a importância do respeito mútuo e os dons de telepatia e outros extrasensoriais, estará desperto em todos facilitando assim a ordem global não dos homens, mas da própria natureza. Mãe gaia..Todos terão consciência de que a terra é nossa sagrada nave espacial que merece todo respeito..hehe

    Pelo menos é isso o que eu sinto rsrs ABRAÇOS!! PAZ E LUZ..;)

    ResponderExcluir
  3. Que assim seja !!

    O grande problema da humanidade é e sempre foi o EGO, no filme mostra bem o professor convencendo os alunos que eles eram especiais e diferentes por estarem em um determinado grupo, e por eles terem determinadas qualidades como disciplina, perseverança, etc. Nós somos condicionados desde pequenos a nos sentirmos diferentes dos outros, temos que ser os melhores os primeiros, se uma pessoa se destoar ou destacar ela deve ser destruída e assim nasce os capitalistas , neuróticos sempre competindo e vendo o próximo como inimigo.
    Ainda bem que há várias pessoas como vc fazendo um trabalho de conscientização sobre quem somos nós e o que é o mundo.
    Quanto a 2012,acredito que haverá uma limpeza espiritual, eu acredito naquele crop circle de 2008, alguma coisa grande irá acontecer no universo, se essa energia vier até nós acho difícil nossos carcereiros continuarem nos manipulando.

    Bjsss

    ResponderExcluir