A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente, num círculo muito restrito do seu ser potencial. Elas fazem uso de uma parte muito pequena de sua consciência possível.


( William James)


sexta-feira, 4 de março de 2011

Religião, espiritualidade e anarquia

*Uma introdução a anarquia

"É provável que os seres humanos desde sempre tenham tido encontros com o mundo ao seu redor e vôos das suas imaginações que tenham evocado um expansivo sentido de deslumbramento, uma experiência do maravilhoso. Fazer amor com o oceano, devorar a gelada lua de hortelã-pimenta, saltar em direção às estrelas numa louca e deliciosa dança" - Wolfi Landstreicher, em Rede de Dominações

A religião é o resultado de uma ausência de plenitude em nossa própria existência. A religião surge no momento em que estas experiências ou a própria existência plena, com um sentido de comunhão com o todo, tenha se perdido e uma sensação de desassossego toma lugar. Este é o sentido da palavra 'religião' (do latin religare), uma espécie de esforço em 'religar' esta conexão perdida. Restaurar uma ‘espiritualidade’ que uma vez era comum a todos.

Esta espiritualidade que uma vez era comum a todos foi perdida ou comprometida quando começaram a existir os especialistas entre os humanos, e um dos primeiros especialistas foi o xamam. O xamam foi concentrando habilidades que uma vez eram comum a todos, nas mãos de um só indivíduo. Essa concentração de poder enfraquece espiritualmente os outros indivíduos, dando início a dependência de um especialista para as questões agora chamadas "espirituais", e dando assim o inicio a religião. Neste processo, o xamam, o padre, o sacerdote, o bispo monopolizam, manipulam e controlam este acesso à espiritualidade, o acesso para a percepção do 'maravilhoso' e da sensação de comunhão com o todo.

Estes especialistas aprisionam estas percepções passam a dar explicações e a mediar estas experiências que são COMUNS A TODAS AS PESSOAS. Criando noções hierárquicas, de sagrado e divino etc. Como foi dito já uma vez, os especialistas "não entram e não deixam entrar ".
Conseqüentemente podemos dizer que estes xamans foram os primeiros lideres, e toda hierarquia e autoridade acaba sendo justificada por motivos religiosos.
E certamente a religião é um dos primeiros recursos para justificar uma sociedade dividida em dominantes e dominados, para justificar toda espécie de hierarquia.
Obviamente falar sobre a questão da religião e da espiritualidade é

Algo que rende muito debate e reflexão . Como foi dito acima, as religiões ou movimentos religiosos e espirituais surgem com um intuito de reatar uma plenitude perdida. Sendo assim, muitas pessoas encontram inspirações libertárias e anarquistas em diversas correntes religiosas. Encontramos manifestações e inclinações libertárias em praticamente todas as religiões: cristianismo, budismo, hinduismo, taoísmo, islamismo, xamanismo e outras. Estes anarquistas "religiosos" rejeitam qualquer autoridade ou hierarquia religiosa. Movimentos e indivíduos com estas buscas e propostas surgiram ao longo de toda a história.


*Tópico retirado do panfleto “Uma introdução a Anarquia” disponível em formato brochura pelas Edições Daninhas: ervadaninha.sarava.org

2 comentários:

  1. Anarquista, graças a deus....

    assisti mas não me lembro.....bem estou assim e sei que é passageiro, mas curto muito viver assim e sentir que o meu presente é estar em pelnitude comigo mesmo....


    muita luz......

    ResponderExcluir
  2. Oi! Pesquisei certas palavras no google, obviamente tenho meus motivos, e o primeiro link era desse blog.
    Gostei desse tópico, Eu sou um real Anarquista, ao contrário do que pensam, anarquismo não é caótico, e sim a real liberdade.
    Eu gostaria de conversar com você, VIAJANTE CÓSMICA, você tem algum msn, e-mail ou perfil no facebook e me adicionaria!?
    Quero saber quem você é e até onde vai seu conhecimento.

    ResponderExcluir