A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente, num círculo muito restrito do seu ser potencial. Elas fazem uso de uma parte muito pequena de sua consciência possível.


( William James)


segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

NÓS SOMOS O PROBLEMA DO MUNDO



Muitas pessoas que estão em um estado mental extremamente confuso começam a ajudar outras e começam a propor soluções. Estas pessoas têm criado mais problemas do que os tem resolvido. Elas ainda não resolveram sua própria consciência interna e se acham prontas para se deparar com todo mundo e para resolver os problemas das outras pessoas. Na verdade, desta maneira estão evitando a sua própria realidade; não querem enfrentá-la. Querem permanecer engajadas em algum outro lugar, com outras pessoas – isto lhes proporciona uma boa ocupação, uma boa distração.

Sim, há problemas, eu concordo. Há grandes problemas. O mundo é um inferno. Na vida encontramos a infelicidade, a pobreza, a violência, todos os tipos de loucuras – isso é verdade – mas, ainda assim, eu insisto que o problema está na alma do indivíduo. O problema existe porque os indivíduos estão vivendo um caos internamente. O caos total não é nada além de um fenômeno combinado: todos nós derramamos o nosso caos nele.

O mundo não é nada além de um relacionamento; estamos conectados um com o outro. Se eu sou um neurótico e você é um neurótico, então o relacionamento será ainda mais neurótico – a neurose será multiplicada, não apenas duplicada. E todo mundo é neurótico; por isso o mundo é neurótico. Adolf Hitler não surgiu de repente – nós o criamos. O Vietnã não surgiu de repente – nós o criamos. É o nosso pus que supura; é o nosso caos que custa caro. O início tem de estar com você: você é o “problema do mundo”. Portanto, não evite a realidade do seu mundo interior – essa é a primeira coisa.

Você é o problema, e a menos que você seja resolvido, qualquer coisa que faça irá tornar as coisas mais complicadas. Primeiro coloque sua casa em ordem – crie um cosmos lá.
Como você está, quando está interessado nos problemas da humanidade, está interessado nos sintomas. Você pode não concordar, porque não consegue enxergar a raiz, você só enxerga o sintoma. Um Buda está interessado – mas ele sabe onde está a raiz, e se esforça muito para mudar essa raiz.

A pobreza não é a raiz, a raiz é a ambição. A pobreza é o resultado. Você continua lutando contra a pobreza e nada vai acontecer. A raiz é a ambição; a ambição tem de ser extirpada.

A guerra não é o problema; o problema é a agressividade individual – a guerra é apenas a acumulação da agressividade individual. Você continua participando de passeatas de protesto, e a guerra não vai ser detida. Isso não faz nenhuma diferença – suas passeatas de protesto, tudo isso.

O problema não é a guerra. O problema é a agressão que está dentro dos indivíduos. As pessoas não estão em paz consigo mesmas, por isso a guerra tem de existir. do contrário, essas pessoas vão enlouquecer.
A cada década uma grande guerra é necessária para descarregar a humanidade de suas neuroses.

O problema não é a guerra; o problema é a neurose individual.
Aqueles que se tornaram iluminados buscam as causas profundas das coisas. Buda, Cristo, Khrisna, eles examinaram as raízes e tentaram lhe dizer: Mude a raiz – é necessária uma transformação radical; as reformas comuns não vão funcionar. Mas você pode não entender. Como eu estou aqui, continuo falando sobre meditação, mas você não pode não ver a relação, não perceber como a meditação está relacionada com a guerra.

O meu entendimento é o seguinte: se pelo menos um por cento da humanidade se tornar meditativo, as guerras vão desaparecer. E não há outra maneira de pôr fim às guerras. Esse tanto de energia meditativa tem de ser liberado. Se um por cento da humanidade – isso significa uma entre cem pessoas – se tornar meditativa, as coisas terão de ser totalmente diferentes. A ambição será menor e, naturalmente, a pobreza será menor. A pobreza não está aí porque as coisas são escassas; a pobreza está aí porque as pessoas estão acumulando, porque as pessoas são ambiciosas.
Viver o momento, viver no presente, viver amorosamente, viver em amizade, cuidar ... e o mundo será totalmente diferente. O indivíduo tem de mudar, porque o mundo não é nada além de um fenômeno projetado da alma individual.

(Osho)

3 comentários:

  1. Não acredito que tudo que está no mundo é culpa de todos. Não podemos fechar os olhos e fingir que o sistema do mundo está sob controle de poucas pessoas. Aliás, essas poucas pessoas disseminam exatamente esta idéia: de que a culpa é de todos.
    Não criei Hitler, nem Saddam, nem Bush, nem Hillary, nem Lula, nem desmatamento na Amazônia, fome na África, vírus da gripe aviária ou qq coisa dessa ordem.
    Acredito sim, que cada um é responsável pelas escolhas que faz. Se vai se aliar e se conformar com esse sistema, que já vem perdurando há séculos, ou não.
    Se 1% do mundo mudasse, não sei se as guerras desapareceriam. Elas são fabricadas por debaixo dos panos e seus reais interesses não são divulgados pela mídia.

    ResponderExcluir
  2. Meu nome é Fernanada Manzoli e agradeço a mensagem.
    Gostaria de te convidar para vc conhecer o blog que faço ha 2 anos, e espero que aprecie.
    Ficarei feliz se colocar em seus favoritos.
    http://naluzdesaomiguel.blogspot.com/

    Bjs de luz e gratidão!

    ResponderExcluir
  3. Gratidão pela visita Fernanda!

    vou visitar seu blog com certeza.
    Abraço e paz profunda ! ;)

    ResponderExcluir