A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente, num círculo muito restrito do seu ser potencial. Elas fazem uso de uma parte muito pequena de sua consciência possível.


( William James)


terça-feira, 29 de novembro de 2011



Não pense que você vai conseguir fugir de tudo que sente
Ninguém é tão esperto a tal ponto de fugir de si mesmo
Não há saída quando o chamado é o sincero do coração
Mostre quem você é e pague pra ver o que acontece

Quando o beijo é o desejo de ambos os lados na calma
Os sonhos encontram o caminho que preenche a alma
Não há como escapar do que vem do próprio íntimo
Quando as bocas se encontram os olhos perdem a visão


Não deixe nada pra depois o momento exato é agora
Você só tem esse instante pra realizar o que você sonha

Pra escapar da pessoa errada é preciso apenas ser a certa
Porque os semelhantes sempre se atraem.
Se ela disser não, não é problema, o não você já tem
Pode ser que ela esteja só testando sua coragem
Assim como todas as outras que você encontrar e gostar
Ela também vai querer um sacrifício antes da entrega.

Quando o beijo é o desejo de ambos os lados na calma
Os sonhos encontram o caminho que preenche a alma
Não há como escapar do que vem do próprio íntimo
Quando as bocas se encontram os olhos perdem a visão


Não deixe nada pra depois o momento exato é agora
Você só tem esse instante pra realizar o que você sonha

Pra escapar da pessoa errada é preciso apenas ser a certa
Porque os semelhantes sempre se atraem...


domingo, 27 de novembro de 2011

Os cinco alicerces da autoestima

“Ser consciente da própria personalidade e agir sem medo do julgamento dos outros.” Isso é muito mais do que uma simples definição: é conhecer a si mesmo, é ser livre das expectativas e dos julgamentos, é encontrar o próprio talento e não ter medo de expressá-lo. Somente assim poderemos ser felizes...


Muito se escreve sobre autoestima, mas sabemos de verdade do que se trata? Hoje, nesse momento da nossa vida, podemos afirmar que temos uma boa autoestima? Quantas vezes acontece, quando as coisas estão indo bem, por exemplo, no trabalho, de nos sentirmos felizes, enquanto, no dia seguinte, por causa de uma discussão com o chefe, é como se o mundo acabasse? Isso acontece porque damos muito mais valor ao nosso desempenho, ao poder que possuímos, aos agrados ou às críticas que recebemos dos outros, aos resultados que conseguimos. Mas a autoestima não tem nada a ver com isso. Podemos defini-la assim:


- a conscientização de ter valor, independentemente do que fazemos, das atitudes que tomamos e do que os outros dizem de nós;


- a somatória das capacidades internas, dos relacionamentos com os outros, baseados na profunda e intensa percepção de nós mesmos, que se manifesta por meio de atos em sintonia com a nossa essência, por como ela é, aqui e agora;


- a capacidade de nos colocarmos de forma complementar aos acontecimentos, sem por isso nos sentirmos à mercê deles;


- a capacidade de mudar de postura e pensamento, compatível com a nossa evolução e crescimento.


Por isso, os cinco alicerces da autoestima são:


1) Conhecer a si mesmo: desenvolver a capacidade de se desprender das coisas materiais, vivendo a sensação de intenso e íntimo bem-estar, independentemente dos fatores externos.


2) Conhecer o universo: viver em equilíbrio consigo e com o mundo, sem passar o tempo se questionando sobre o porquê vive ou sofre, mas “dançando conforme a música”, sem julgamentos, aproveitando o máximo do que a vida tem de bom a oferecer.


3) Ser consciente: não viver seguindo princípios morais predefinidos, mas estar presente ao que acontece ao seu redor, agindo conforme o momento e o bom senso, sem pré-julgamentos: dessa forma, nos regeneramos e nos reconstituímos permanentemente.


4) Ser livre: viver livre dos rótulos, dos preconceitos, das ideologias e dos valores pré-concebidos; ter liberdade com as paixões, com os sentimentos, para que sejam vividos de forma ativa e não passiva; ter liberdade para consigo mesmo.


5) Encontrar o próprio talento: desenvolver a capacidade de se renovar e de se recriar: aproveitar a própria criatividade em tudo aquilo que se faz, tanto nas coisas mais simples, como nas atividades mais complexas.


Leonard F. Verea é médico psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina e Cirurgia de Milão, Itália. Especializado em Medicina Psicossomática e Hipnose Clínica; é membro de diversas entidades nacionais e internacionais.

Veja Além da Ilusão...


Tenho percebido ultimamente como tudo está ''as claras'' por aí, se engana apenas quem quer... tudo está muito fácil de ser descoberto e desmascarado desde que nossa atitude mental e interior esteja alinhada com a consciência cósmica. Muitas pessoas seguem suas vidas iludidas ainda tendo necessidade de seguir pseudos mestres e guias que se intitulam ''espiritualistas'', mas aí é que mora o perigo...nem sempre tudo o que reluz é ouro...

As religiões primordialmente foram criadas para simples interesse de manipulação mental de determinados grupos onde, energias involutivas no astral se alimentam e vampirizam estes seguidores inconscientes que pensam estar trilhando um caminho verdadeiro, mas que cada vez mais estão apegados a ilusão das formas e sobre si mesmo.

Os verdadeiros iluminados não criaram nenhuma religião e muito pelo contrário, vieram exatamente para trazerem a luz da verdade cósmica e incondicional mostrando para cada pessoa que todos tem o poder de se guiarem e de serem seus próprios mestres sem precisar seguir nada e nem ninguém.

Tudo daqui para frente estará acessível no que diz respeito a enxergar tudo COMO REALMENTE É, sem projetar falsas crenças e ilusões egoicas, como a profecia Maia bem disse, estamos vivenciando uma época mágica do salão dos espelhos onde tudo o que for mentira será descoberto, todas as máscaras cairão, doa a quem doer...

Estamos numa época de plenitude e muita luz, uma época mágica e gratificante onde cada um de nós retomará seu poder interior e não mais entregará o poder de cura para seres negativos (magos negros) que só visam o lucro materialista e o vampirizar energias alheias de seres inconscientes de quem são realmente nesta ''salada esquisotérica espiritualista que dizem ser universalistas''...

Sigamos atentos e conscientes pois, nada mais restará além da verdade daqui para frente e a verdade, somente a verdade o guiará e o livrará de qualquer ilusão.

Consciência e meditação sempre!


sexta-feira, 25 de novembro de 2011




Ponto Zero - Uma advertência para a humanidade

Cientistas russas decodificaram mensagens extraterrestres:
“uma grave advertência para a humanidade”

Segundo relatado em texto (press release) de seu site institucional, a Terra está em fase final de um ciclo de desenvolvimento da consciência humana e do mundo orgânico.

Uma diminuição crítica no campo magnético da Terra fará com que ocorram muitos e graves eventos cataclísmicos emescala mundial.

Civilizações extraterrestres (ETC) ofereceram à humanidade a informação para que façam a passagem no tempo com serenidade, às vésperas desses cataclismos previstos.

Esta é a afirmação postada pelas duas cientistas russas Dra.Victoria Popova, e Dra. Andrianova Lidia para o mundo.


O objetivo das Cientistas russas é o de transmitir a informação para a humanidade para compreender a situação crítica que enfrentaremos, a fim de fazer a transição no tempo em harmonia

Elas têm autoria de mais de 200 publicações e 19 anos de estudos.
Durante 15 anos de pesquisa, elas descobriram duas chaves de informação - analógico e digital – através dos círculos nas plantações, na decodificação de pictogramas e outras mensagens extraterrestres em pedras.


Entre as pedras estão Stonehenge e os círculos de pedraAvebury no Reino Unido, Machu Picchu, Chavin de Huantar e as Linhas de Nazca, no Peru, a pirâmide deChichen-Itza e as pirâmides da lua e do sol no México e noMoai da Ilha de Páscoa e muitos outros.

Todas as informações preliminares sobre a consciência e suas possibilidades, foram passadas através de objetos de pedra.

Pictogramas extraterrestres em pedra transmitem informações preliminares sobre o desenvolvimento da consciência.

Círculos nas plantações transferem as informações de emergência e instruções para a passagem de estado –matéria = plasma.
Infelizmente, há muitos hoaxes que podem arruinar o nosso futuro e teremos que saber ver o melhor caminho para seguir” – diz uma das pesquisadoras.

Depois de toda a decodificação, em muitas centenas de pictogramas espalhados por todo o mundo, as cientistas russas prepararam um dicionário de mais de 250 símbolos.

Segundo as cientistas russas, o ETC preve 3 catástrofes preliminares seguidas por BIG cataclismos globais.

De uma magnitude acima de qualquer coisa experiênciadana memória humana.

Haverá um curto período de tempo entre todos estes eventos

ETC alerta que a civilização tem que ser pré-informada sobre o cenário de cataclismos globais no início do evento para apreparação mental e espiritual de uma experiência avassaladora que mudará a forma como a humanidadeexperimenta o meio físico.

Sem informação, a civilização não terá chance de fazer a transição no tempo certo...


Voltarão a ser escravos dos negativos de plantão, pois verão aquilo que querem ver – destruição e um salvadorque os guie para a nova Galiléia ou Shangri - La...


Dependerá da crença religiosa de cada um.

As pesquisadoras russas presumem que o primeiroCataclismo - estará relacionado com a interrupção do sistema global de comunicação - Internet, telefone, meios de comunicação em geral.


E essa pedra já foi mais que cantada aqui nesse BLOG.

O caos sem precedentes levará a loucura muitas mentes dificultando a passagem no tempo por puro desconhecimento de seus poderes de telepatia eoutras habilidades que chamamos “paranormais” - que irão se exarcebar na passagem do tempo – no PONTO ZERO

As cientistas afirmam que um evento catastrófico sísmico emanará da costa oeste do Peru na área da Anomalia Magnética do Brasil.

No Oceano Pacífico, uma área dos Estados Unidos do Golfo do México até os Grandes Lagos serão inundados como resultado de um tsunami.

De acordo com a profecia de Edgar Cayce - famoso profeta americano - durante alguns minutos as águas do Golfo mexicano se unirão com as dos Grandes Lagos.

Esta catástrofe terá um impacto devastador sobre a central de toda e região sul do Pacífico, com a probabilidade de mega-tsunamis baterem a costa leste da Nova Zelândia e Austrália.

O tsunami pode até afetar a costa norte-ocidental da África e as costas da Europa Ocidental, mas o peso do cataclismo incidirá sobre a costa oriental da América do Norte

Os cientistas enfatizam que este é

Parte deste processo é o desenvolvimento da consciência humana a um ponto onde a humanidade terá uma pequena"janela de oportunidade" para fazer a transição para um plano superior de existência - osalto quântico.

O que isso quer dizer?

Teremos pouco tempo para usar nosso poder de conhecimento sobre quem somos e o que somos = ENERGIA INDESTRUTIVEL.

Para muitos será a "morte certa", mas para os iluminados(quem tem conhecimento) será uma oportunidade única de fugir da escravidão, libertar as algemas, fugir, se escafeder, evadir, correr, voar rumo a nossa fonte – nossa mente que tudo sabe.

Vamos nos lembrar de tudo, de todas as vidas, de todas as dores de todas as alegrias da nossa existência!!... será uma loucura!!

E muitos vão realmente enlouquecer...
Iremos ver os que já “morreram”, e os que não sabem que já “morreram” também.
Teremos que ter muita firmeza para não nos deixar “cair em tentação” sob os apelos dos entes queridos (falecidos) que não tiveram o mesmo conhecimento que estamos tendo agora antes do PONTO ZERO - para que a gente siga o mesmo padrão de antes – a prisão da Matrix.

Como assim?
Construindo “colônias”, re-erguendo cidades, paredes, muros, casas e nos segregando em famílias distintas.

Em um ambiente onde todos são igualmente poderosos, não precisamos de nos defender de nada, não precisamos de abrigo da chuva, do frio ou de “predadores”. OK?

Muito menos de “plantar” para nos alimentar ou barganhar por necessidades básicas – isso é escravidão!

Eles explicam que neste ponto da história pode ser visto como uma espécie de formatura para a humanidade a um nível maior e mais sutil de experiência, um tipo de metamorfose para a humanidade conectada com a ascensão.

Cuidado com seu pensamento,
pois ele se materializará num piscar de olhos

De acordo com Dr. Popova e Dr. Andrianova, ninguém pode ser salvo individualmente, pois a transição pode ser feita somente através da unificação sincrônica da consciência humana.

O que isso quer dizer?

A “salvação” a que elas se referem é justamente o que 99% da humanidade deseja, por medo, pavor da morte física – um programa instalado desde a nossa concepção de vida.

Esse programa será deletado no PONTO ZERO, não fará efeito, pois a sensação de euforia tomará conta do SER humano e ao mesmo tempo lhe dará sensações nunca experimentadas antes o que também o levará a sua derrocada...

Somente através da união de varias mentes com a mesma sincronicidade é que poderemos nos situar e buscar uma “racionalização” do que estamos vendo, sentindo e ouvindo, já que nada do que veremos existe, pois é fruto de nossa imaginação!

A unificação do conhecimento é que nos dará certeza que estamos no caminho certo. Portanto, é hora de procurar os iguais a você, pois atraímos os que têm a mesma freqüência...

O tempo para os seres humanos escaparem da devastaçãoda unificação da consciência, será logo após o primeiro cataclismo – a falta de comunicação nos meios das telecomunicações eletrônicas - o que deixará muitos sem informação sobre tudo e todos – totalmente perdidos

Após a segunda pré-catástrofe a humanidade não terá chance de “prolongar a vida” (sua permanência na 3D) porque o número de pessoas que permanecerá não será suficiente para iniciar o mecanismo de transição

Vai começar tuuudo de novo...

Ou seja, os que se fixarem na 3D não terão informação suficiente para entender o que está se passando e serão levados a uma nova ordem mundial, uma nova organização da espécie humana – uma nova Babilonia, uma nova nação pós dilúvio como na história passada.

Mas a humanidade futura que conseguir passar do PONTO ZERO fará parte de uma comunidade galáctica ligada atravésda consciência – leia = Com + CONHECIMENTO de tudo.

Em 1990, as informações necessárias para transferir informações para as pessoas de altos cargos, a fim de mudar a situação do planeta foram dadas para Mikhail Gorbachev Presidente da URSS e Bill Clinton, o Presidente dos EUA, mas em nada mudou.
Dois dos livros que publicaram está em co-autoria com Marina Popovich, lendária piloto de testes soviético e no mundo conhecida como “senhorita MIG” primeiro livro em co-autoria com Marina Popovich «Cartas de ETC - a última advertência» e o segundo livro «O Sistema de Transmissão de Informação de civilizações extraterrestres» mostram símbolos e gráficos que fortificaram suas pesquisas.

Marina Popovich está em contato estreito com muitos astronautas e membros dos Governos e pessoas de renome que acreditam profundamente na existência de ETC.


Temos que observar que “eles” nos deram todo o programa do que ver e que não ver.


Somos nós que estamos produzindo tais “cataclismos”, pois somos Co-autores da nossa realidade, portantoteremos que nos preparar para o que vem pela frente, pois não teremos como evitar a curto prazo tantos eventos.

O importante a se destacar é:

Tudo isso faz parte da nossa própria evolução – o Caos é necessário para providenciar as mudanças.



Quer coisa mais caótica do que uma evolução de um parto? Mas no final tudo fica bem...

Basta que você estude as várias possibilidades de se manter íntegro – físico, mental e espiritualmente equilibrado – para então atravessar esse portal...

Fique firme, vamos estar sempre juntos para dar a mão àquele que se desgarrar.

O barco pode estar afundando, mas nós sabemos nadar e temos muitos recursos para nos manter com a cabeça fora dágua. OK?






quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Tudo está certo como está...


A existência é muito virtuosa. Mesmo que você encontre algo que você não possa chamar de virtude, deve ser por causa de uma incompreensão sua. Tudo o que acontece, sempre acontece corretamente. O errado nunca acontece. Pode lhe parecer errado, porque você tem uma certa idéia do que é o correto, mas quando você puder olhar sem preconceito, nada estará errado, tudo estará certo. O nascimento, a morte , a beleza, a feiúra. Tudo está certo.

Mas nossas mentes são pequenas, nossa compreensão é limitada; nós sempre vemos apenas uma pequena parte. Somos como uma pessoa que está escondida atrás da porta e olhando a rua através do buraco da fechadura. Ela sempre verá coisas passando – sim, alguém está caminhando, um carro passa de repente... Há um momento atrás ele não estava ali, então ele passa e um momento depois ele desapareceu para sempre. É dessa forma que olhamos a existência. Dizemos que alguma coisa está no futuro, então ela chega até o presente e, então, entra para o passado.

Na verdade, o tempo é uma invenção humana. Sempre é agora. A existência não conhece nenhum passado, nenhum futuro – só conhece o presente.
Mas ficamos sentados olhando através do buraco da fechadura.
Então vivemos perguntando por que existe miséria no mundo, porque há isso e aquilo... por quê? Se pudermos olhar o todo, todos esses por quês desaparecerão. E para olhar o todo, você terá que sair do seu aposento, você terá que abrir a porta, você terá que abandonar essa visão do buraco da fechadura.

É exatamente isso que é a mente: um buraco de fechadura, e um buraco muito pequeno. Comparados a este vasto universo, o que são seus olhos, seus ouvidos, suas mãos? O que podemos apreender? Nada de muita significância. E a esses pequenos fragmentos da verdade, ficamos muito apegados! Se você puder ver o todo, tudo é como deve ser – este é o significado de “tudo está certo como está”. O errado não existe. Somente Deus existe; o Diabo é uma criação do homem.
(Osho)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Você já reparou como enfrentamos diariamente uma tempestade de estímulos, informações e influências? São muitas: “você precisa disso”, “tem de comprar aquilo”, “tem de ler tal livro”, “você deve assistir aquele filme”, “tem de melhorar”, “tem de estar atualizada”, “tem de”. Ufa! Se deixar, a sociedade cria um zilhão de necessidades pra gente.

Ou seja, nos dá um zilhão de tarefas. Resultado: chega um momento em que as pessoas ficam realmente perdidas num mar de atividades que não representam uma verdadeira conexão com a alma. Sim, porque satisfação só existe quando há um elo com a necessidade verdadeira. A falsa necessidade exige nossos esforços, nos esgota e não recompensa. Sabe o que eu tenho sentido? Que todas as pessoas precisam ter um centro. Caso contrário, o mundo as leva a um caminho que não tem nada a ver com elas.

Então, vamos lá: chegou a hora. Centre-se no silêncio do seu mundo interior. Diga não a tudo que está à sua volta e que não tenha uma conexão direta e profunda com sua alma. Não permita que terceiros façam escolhas por você. Deixe as influências caminharem. Esse é um dos segredos da serenidade. Continue: pergunte, lá no fundo, do que é que você precisa realmente para ser feliz. Confronte-se já! Gente, vocês não imaginam como essa atitude faz toda a diferença.

Sabe aquelas pessoas que comem compulsivamente, engordam e acham que está tudo bem? Pois é, isso denuncia que algo está errado. Isso significa que, nas profundezas da alma, há uma insatisfação, que é fruto de necessidades não atendidas. Amadureça! Assuma as próprias responsabilidades. É você com você. “Ai, estou gorda e viciada”, “Ai, porque a doença da minha filha está acabando comigo”... O que é isso? Você já parou para confrontar o seu eu?

Puxa vida, eu percebo como as pessoas vivem em busca de coisas passageiras: lutar pela reputação, por ser chique, por ser bacana, por não poder errar... Mas será que esses sentimentos que surgem dispersam sua energia ou têm a ver com a sua alma, lhe fazem sentir-se bem? Avalie! Vamos dar uma parada hoje! Promova um momento de confronto consigo mesma. Olhe para você.

Estabeleça uma nova disciplina em favor da sua alma, da sua libertação, da sua paz. E não me venha com problema e choradeira, porque isso não resolve nada. Fica na lamentação e não se encara. Fica na culpa e não se encara. Fica no “deveria”. Não, ninguém deve nada. Se você pegou essa coluna para ler agora é porque está preparada para se confrontar.

Todo momento é de restauração. Quando damos um passo em direção ao que a natureza quer de nós, anulamos as atitudes passadas, os desencontros e as perdas. Quando as catástrofes, os desastres ou as doenças vêm até nós, é pra nos mostrar que estamos negligentes, voltados a um mundo fantasioso e negativo, em vez de cultivarmos dentro de nós as sementes da generosidade e do bem. Sim, porque a alma tem necessidade de ser boa. Ela precisa sentir a realização, o amor, a paz. Afinal, esse é o mundo do espírito, o mundo da nossa alma. Definitivamente, pare, sinta e caminhe em direção àquilo que realmente lhe faz bem.

Fonte: Gasparetto


sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Egrégoras e energia natural - 1ª parte


Essa questão das coisas e seres que "geram" poder e das que são apenas espectros é um assunto muito importante para quem "navega" por mundos outros que não esse. Uma das coisas mais importantes para quem flui pela Eternidade é reconhecer quais os lugares e seres geram energia a partir de si mesmo e quais são apenas formas espectrais, criadas pela intenção de outros seres, formas geradas, que podem ter até seu poder, mas poder dos mais limitados, poder reduzido. Existem mundos criados pelo intento de poderosos (as) xamãs ancestrais, existem cidades, templos, enfim, um infinito número de lugares que foram gerados com os mais diversos propósitos ao longo de todos esses tempos que seres conscientes existiram neste mundo.

Grande parte do treinamento inicial de um(a) xamã guerreiro é aprender a ver a energia diretamente, além das barreiras da socíalização. Por isso tais caminhos começam com o ir além da "forma humana", além do conjunto de estilos de raciocinar, de emocionar e reagir que temos em nós, que temos por nós. Somos , a princípio, apenas esse aglomerado, mas parte de nossa magia consiste em podermos mergulhar rumo a essência perceptiva que no cerne somos, e podemos então tornar nossa consciência um aspecto singular da vastidão inominável que é o mar escuro da consciência.

Quando nos tornamos realmente existentes, quando nos lembramos de nós mesmos e deixamos de nos confundir com a ilusão, com o Mitote que criaram a nossa volta, para nele nos diluírmos e não nos percebermos ente singular, quando este "despertar" ocorre, só aí um(a) xamã é considerado existente, só aí começa a aventura efetiva que por um tempo incontável tem levado aos Xamãs que esse caminho trilham a serem conhecidos como "desafiantes da morte".

Quando vamos falar de Xamanismo do ponto de sentir o mundo desta linhagem é necessário que compreendamos bem que vamos usar palavras para apontar ao que está além das palavras. As palavras quaisl taisl as usamos hoje estão numa sintaxe que representa o resultado da ação desse sistema escravizador que hoje domina o mundo. Portanto, as palavras determinadas pelos escravizadores não podem em si conduzir a liberdade. Mas parte da magia do Xamanismo é transformar correntes em asas, grilhões em chaves que abram as masmorras perceptuais onde trancaram nossa espécie e reduziram nossa realidade mágica a esta tacanha normalidade dos boçais capatazes que administram a senzala, para os Senhores e Senhoras feudais contemporâneos.

A palavra egrégora é uma palavra complexa. Não conhecemos a etimologia da mesma, não sabemos ainda a partir de que idéias semânticas foi formada, mas o que interessa então é que ela designa algo que existe. Se estamos imersos no vasto Mar da Consciência e Energia uma egrégora é um tanque, um armazêm de energia que tem uma "tonalidade", uma "característica" própria, singular, por vezes chega uma egrégora a ter personalidade e em casos mais raros, mas registrados, há egrégoras que adquiriram mesmo singularidade existencial. Um dia lhes conto uma história de uma Divindade que surgiu como egrégora na Mongólia e hoje é um ser singular e consciente de si.

Mas uma egrégora não gera energia por si. Ela é alimentada, é resultante, daqueles que a geram e a mantém. Ordens iniciáticas realizam ritos com certos padrões comuns em todas suas secções entre outras coisas para alimentar a mesma egrégora, fortalecer a "alma grupo" da irmandade. Um exemplo de ação de egrégora é o poder das seitas evangélicas em pegar um cara que é viciado, perdido na vida e por o cara "na linha", entendendo eles que na linha quer dizer, um bom "trabalhador" que "serve" ao sistema eficientemente, sendo assim também um bom consumidor. Embora, se formos além das aparências veremos que é usado para tão escravizante propósito tais seitas usam um conhecimento sutil, a força da egrégora. Alimentada pelas orações, pelos movimentos pentecostais onde aspectos de energias ancestrais são evocadas, a egrégora do grupo é potencializada. Quando a pessoa, em cerimônia fortemente catártica, se "entrega a Jesus" e o "aceita como salvador pessoal", imediatamente a conexão com a egrégora é realizada e a força do grupo aumenta a força do individuo e ele consegue " se endireitar" (sic!).

Hoje a magia renasce, nós herdeiros espirituais e genéticos dos povos nativos podemos nos revelar mais abertamente, podemos falar de nossos sentimentos, do que as Avós e os Avôs nos contaram, mas isso porque a Igreja perdeu sua força de poder dominante no modo de pensar dos povos.

Onde foi dado um golpe forte nessa queda?

Quando João XXXIII tirou o latim, quebrando a união ritualística que gerava uma poderosa egrégora a essa herdeira direta do Império Romano, com seus Papas / Césares. Assim a egrégora é um reservatório de energia com uma programação, não é energia bruta, virgem, intocada, é energia já polarizada por alguém, ou algum grupo, quer conscientemente, quer inconscientemente.

A egrégora de um time de futebol tem um poder fortíssimo. E há outras egrégoras, como a da Coca Cola, como a de personagens fortes que começam em livros tidos por ficção, mas com o passar do tempo passam a ter tal presença na dimensão mítica da humanidade que eles tem força de existentes. A galera caoticista usa esses tanques de energia que estão por aí e ninguém percebe o poder. O xamanismo através de sua história já usou tudo isso, já cultuou seres como deuses, já personificou os poderes da natureza, antropomorfizando a tal ponto tais forças que ficou muito da fantasia e quase nada do símbolo puro em muitas representações de deuses e deusas dos nativos, tais quais hoje se nos apresentam.

Muitos homens e mulheres xamãs se tornaram "deuses e deusas" para seus povos, atraíram entes que tinham tal vastidão de poder que foram tidos por "deuses e deusas" pelos que eram levados a adorá-los, muitas vezes com sangue e sacríficios, que davam a energia que tais entes precisavam para atingir os "pedidos" dos fiéis.

O xamanismo guerreiro, frente as árduas condições em que sobreviveu muito aprendeu. Conquista de outros povos nativos, depois invasão dos atrozes e desumanos europeus, que praticavam contra os nativos todo grau de violência, quer física, quer moral, quer cognitiva, quando os afastavam de suas tradições e lhes impunham suas tacanhas crenças, a estes povos nativos, possuídores de cosmogonias, de conhecimentos sobre si e a realidade circundante que eram tão transcendentes que sequer visíveis foram aos bestializados conquistadores, que destruiam jóias e monumentos de Saber apenas para derreter o ouro e a prata que ali estavam.

Os homens e mulheres xamãs que sobreviveram aos ataques, cujos "poderes" realmente "funcionaram" frente aos invasores começaram a perceber muitas coisas, quando, já como fugitivos, se reencontraram. As histórias contam desses encontros entre diversas "linhagens" de xamãs que sobreviveram a seus "centros de poder". Os arrogantes e ensimesmados homens e mulheres que criaram tantas cidades estados pelas américas, que dominaram tantos povos, as confrarias que formavam e os poderes que partilhavam, o dominio sobre outros que exerciam, criando tipos diversos de imperialismos, onde outros deviam trabalhar para que eles e elas, os iniciados, pudessem desenvolver ainda mais o intricado e complexo, o assombroso e poderoso conhecimento que tinham, mas que na hora do ataque a poucos serviu.

Duas classes de xamãs escaparam destes confrontos. Povos inteiros guiados pelos seus homens e mulheres xamãs deixaram essa realidade e foram viver em outros mundos. Os(as) xamãs do clã guerreiro, do qual algumas linhagens conhecidas hoje, como a do Nagual Charles Spider, descendem. Estes povos que migraram para outros mundos não o fizeram apenas para mundos geradores de energia. Alguns povos, como alguns grupos e mesmo alguns (as) xamãs isoladamente, criaram na amplitude da "Segunda Atenção" ilhas de existência. É um dos poderes do Sonhar, poder criar um mundo réplica de um que exista, ou mesmo algo totalmente novo, só pelo poder do Intento do(a) xamã que assim age. Mas tais mundos são mundos espectros, mundos que não geram energia e este é o perigo de se desenvolver em corpo sonhador sem amadurecer primeiro, sem sair dos joguinhos e dos pueris paradigmas que as religiões e as pretensas filosofias espiritualistas nos deram sobre o que são "mundos evoluídos", "mundos superiores" e os "seres de luz e pureza" que nos esperam lá. Os que ficaram, os que sobreviveram mas não migraram para outros mundos, quer mundos geradores de energia como este, quer os mundos espectros onde criaram réplicas da civilização que deixavam, todos aprenderam muito. Estes que foram ainda voltam muitas vezes a este mundo, para nós do xamanismo, muito do que se tem por contato "extraterrestre" quando envolve seres humanóides e mesmo os seres totalmente iguais a nós está muito mais ligado com estes "humanos" que partiram um dia que com seres oriundos de outros mundos, que serão inimaginavelmente diferentes, já que gerados em outras realidades, logo em outro conjunto de estímulos.

Mas o que importa agora é que os (as) sobreviventes aprenderam algo muito importante. Primeiro reduziram a extrema dependência que tinham de seus "protetores", de seus "entes amigos" , de seus "aliados". Perceberam que estes seres tinham também seus limites, podiam mesmo ajudar como batedores, muitos dos que estavam vivos ali estavam vivos porque esses entes os avisaram e puderam fugir a tempo, os alertaram de emboscadas. Mas perceberam que tais entes só agiam diretamente sobre os atacantes se tivesse o(a) xamã que a este ente era ligado, "poder pessoal", isto é, "energia acumulada" suficiente. É sempre a energia do xamã que permite a um ente de outra realidade se manifestar nesse mundo. Também notaram que muitas "armas mágicas", muitas das "peças de poder" pela quais tanto lutaram entre si, tantas vidas foram usadas para as conseguir, tinham um valor também relativo, uma arma de poder depende completamente do poder pessoal de quem a utiliza. Então começaram a perceber que muita coisa que praticavam tinha grande apelo, mas não tinha real valor de sobrevivência e estes homens e mulheres, que já foram um dia conhecidos como "desafiadores da Morte" continuaram a sua trilha, estudando, praticando e aprendendo enquanto lutavam para sobreviver.

Veio a invasão dos europeus e tudo ficou ainda mais exigente aos que tentavam sobreviver. O poder de cada um destes conquistadores era terrível e o povo nativo estava longe de ter a crueldade e o sadismo desses conquistadores que praticavam atrocidades para "se divertir". Por esporte matavam centenas, trucidaram a mais bela cidade do ocidente que existia na ainda florescente cultura Asteca, estes que haviam conquistado um povo mais antigo, que haviam quase destruídos xamãs que guardavam um saber milenar, eram agora destruídos por um povo ainda mais sanguinário, um povo para o qual todo sentido de humanidade e respeito pela vida havia sido perdido. Servindo a seus dois deuses, a Riqueza e o Sofrimento, os invasores cuidaram de roubar toda riqueza que puderam deste povo dominado e destruir a alegria pura e verdadeira destas gentes em um holocausto a seu deus do sofrimento e do sacríficio.

Nestas condições de extrema opressão o xamanismo guerreiro se escondeu em várias linhagens, que para se proteger perderam até mesmo contato uma com as outras. Algumas conseguiram ir para o "velho mundo" (frase totalmente sem sentido pois perto da ancestralidade destas terras, como o planalto central brasileito, o "velho mundo" é apenas uma criança), outros se refugiaram no anonimato de vidas simples em vilas camponesas, aparentemente servindo ao sistema dominante que estava se implantando e assim, sutilmente, sumiram da história para permanecerem vivos na Eternidade. Parte das descobertas dessas linhagens hoje começa a ser veiculada de forma mais aberta novamente, e nós temos a tremenda sorte de ter acesso as mesmas. O que sabemos a partir deste conhecimento acumulado é que uma situação geradora de energia nos alimenta, nos amplia, nos fortalece e uma situação espectral, vai de uma forma ou de outra consumir nossa energia.

Como tudo que um(a) xamã faz depende de energia é vital para o xamanismo discernir entre uma situação geradora de energia e uma espectral. No caso de uma egrégora é uma ligação em certo equilibrio, você doa sua energia para a egrégora e ela te apóia. Mas quando vamos a mundos espectrais, a "templos no astral" e a uma série de lugares, que podem ser até por demais agradáveis, onde apenas "soltamos " energia, aí estamos numa condição não geradora de energia e corremos o risco de estar até mesmo num lugar que "vampiriza" energia. Existem mundos que só de irmos lá nos alimentam com sua energia e isto nos dá uma energia extra, algo que os(as) xamãs buscam disciplinadamente pois precisamos de muita energia para todas as manobras que o xamanismo nos permite. Para quem está familiarizado com o mundo dos aliados sabe o quanto temos que ser disciplinados prá dar esses "mergulhinhos" naquele mundo de cavernas vivas e nos alimentarmos, só de estarmos ali, da inquietante energia que dele emana, sempre correndo o risco de cair nas artimanhas desses entes manipuladores.

Parece que em tudo isso, só o firme intento da Liberdade Total consegue mesmo nos tornar imunes a todos esses riscos. Por isso no Xamanismo Guerreiro, não trabalhamos com divindades criadas pelo ser humano, ou egrégoras conscientes, buscamos diretamente na fonte, vamos a Terra, enquanto ser vivo e a seus poderes e manifestações, como ventos, cachoeiras, trovões, montanhas, chuva, vales, enfim, vamos a força manifesta em si, não a "representações" das mesmas. Existem energias oriundas dos astros, de planetas, de cometas, de meteoros, existe a poeira cósmica de cada estrela cadente, enfim, existe uma infinidade de modalidades de energia que a todo instante estão chegando até nós. Assim um xamã do Raio vai usar o raio como seu instrumento de poder, um xamã das nuvens vai usar as nuvens e assim por diante, mas pode ficar adorando uma divindade que "representa" tal poder, ou efetivamente ir a uma "simbiose" com tais poderes, reconhecendo-os como aspectos conscientes da Totalidade, tanto quanto nós somos e assim estabelecendo uma ação conjunta com esses poderes.

O xamanismo guerreiro é magia, não pode reconhecer coisas como "rezar" para algum poder. O termo rezar, tal qual é usado hoje, vem num contexto de pedir, de suplicar, de um ser suplicante implorando e chantageando uma força superior, tentando suborná-la com sacríficios e promessas para que ela ceda e atenda o "suplicante". Notem como tudo isso está impregnado ainda dos paradigmas da civilização escravizadora na qual estamos inseridas e não tem nada a ver com a realidade viva do xamanismo. Entretanto muitos povos com o passar dos tempos perderam esse elo direto e consideraram cultuar formas mais importante que ir direto a essência e criaram certos tipos de práticas que são tidos por xamanismo, e até podem o ser, mas não fazem parte do que o Xamanismo Guerreiro escolheu como práticas mais estratégicas.

A pergunta é: tecnicamente, em termos de magia prática qual a diferença de se utilizar um e outro?

Como tudo mais no universo do xamanismo, depende do poder pessoal do praticante. Quem tem poder pessoal pode usar uma tampa de coca cola como escudo, quem não tem pode ter o escudo de ypê do líder do clã da onça pintada que nem vai consegur ativar o poder que está ali, contido naquele escudo ancestral.

Quando utilizamos uma energia "natural" estamos nos associando a uma força que tem sua própria consciência, assim juntamos nosso "intento" a um poder que pode ampliar e potencializar esse intento numa esfera muito maior que apenas a humana.

Quando usamos o poder de uma egrégora, sabendo que ela foi gerada por seres humanos quando muito teremos um poder mais amplo, quando uma egrégora é realmente ancestral e assim foi alimentanda inicialmente nos tempos "míticos" tendo seu poder, sua "baraka".

Entendo que o poder "real" deve estar mais em sintonia com o fluxo da Natureza e assim, aproveitar melhor o impulso da corrente... Mas gostaria que vc falasse mais da diferença entre estes tipos de energia. Pode ser?

O Ser Terra é muito mais poderoso que qualquer egrégora humana criada, é mais antigo, mais pleno, e está em sintonias com certos "planos" que nós humanos sequer intuímos existir. Assim, quando nos conectamos ao Ser Mundo para agir magicamente estamos na realidade entrando em sintonia com um poder que transcende o humano, e tal poder "mais que humano" é uma energia muito mais poderosa para trabalhar no alcançar dos nossos objetivos do que um rito que estamos realizando com um poder "humano", por mais ancestral que seja este.

Outro tema que gostaria de puxar, até porque já fazia isto antes de conversar com vc sobre o assunto, é a observação da sincronicidade como sinal de que estamos no trilho... de que as coisas fluem por aí... quanto mais sincronia, mais encaixe... mais energia fluindo... É como aquela brincadeira de "chicotinho queimado", lembra? Tá quente! Tá frio! E assim podemos nos nortear, meio tateando no escuro, para encontrarmos a melhor forma de caminhar.
.
É bem interessante isso mesmo, isso é um dos aspectos que nós homens temos que aprender com a força feminina, ser mais maleáveis, fluir com menos rigidez. Esse minha amiga que está comigo esses dias tem falado muito sobre isso, sobre sentir o Tao, a totalidade que é também consciente de si e que está sempre sinalizando em nosso caminho. O detalhe é que estamos presos a raciocinar a realidade e os sinais do Tao são para os (as) que pensam. Estamos presos em nos emocionar com a realidade e os sinais do Tao são para os (as) que sentem. Estamos presos em reagir e os sinais do Tao nos pedem o AGIR.

Estarmos atentos e profundamente sensíveis a nós mesmos e ao mundo ao nosso redor é sempre uma forma eficiente de caminhar, seja neste mundo, seja em mundos outros que não esse.