A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente, num círculo muito restrito do seu ser potencial. Elas fazem uso de uma parte muito pequena de sua consciência possível.


( William James)


sábado, 27 de novembro de 2010

REENCARNAÇÃO - CICLO ANUNNAKI



Conforme já estudado, sabemos que a palavra Anunnaki significa “aqueles que do céu vieram”.Sabemos que nas milhares de Tábuas de argila encontradas e decifradas suas escrituras por Zacharia Sitchin nos conta que esses Anunnakis estiveram aqui a cerca de 450 mil anos e consta principalmente que manipularam nosso DNA. Veja essa história toda AQUI:



Bom, e o que isso tem a ver com o nosso ciclo reencarnatório na Terra ??? Muitas pessoas são espiritualizadas de alguma forma e estão inclinadas a aceitar que há um processo Reencarnatório que nos “traz” de volta à esse plano físico, mas não conseguem entender de forma mais profunda esse processo justamente pela fragmentação de toda a informação que “Re-montaria” muitas verdades de nosso passado. Bom, se muito dessa historia se fragmentou, podemos desfragmentá-la e juntar partes para entender o todo.Levando em conta que de fato nosso DNA foi manipulado pelos Anunnakis, e ao que diz nas Tábuas de argila a razão dessa manipulação foi apenas para nos tornar seres capazes intelectualmente para realizar o trabalho que eles (os Anunnakis) queriam que realizássemos.


Porém, sabemos que usamos apenas 22 dos 64 Códons de nosso DNA, ou seja, 32 estão “BLOQUEADOS”, e quem os bloqueou ??? Bom, essa resposta fica mais fácil de responder com outra pergunta: Quem nos manipulou geneticamente a 450 mil anos ??? Sim, os Anunnakis, e a razão, ou melhor, a principal razão de bloquearem parte de nosso DNA é justamente para que você não lembre nada de suas reencarnações passadas. Assim ELES podem RE-programar você novamente na “Matrix”.Sabemos que esses seres (Anunnakis) estão num nível vibratório de existência em 4D e a chamada morte de nosso corpo físico que está na 3D, nos faz retornar novamente à essa mesma 4D, onde ELES também controlam em seus níveis vibratórios mais baixos (onde nos “atrapam” espiritualmente).Você achava que ao morrer, depois de ter sido uma “boa” pessoa, trabalhadora e fiel a deus, ou melhor, aos deuses, você iria para o “céu” ficar ao lado dele, ou deles, e junto aos anjos e querubins ??? Sim, é verdade, você acertou! Os mesmos anjos retratados pelo catolicismo são os Sentinelas Anunnakis retratados no livro de Enoch, e os deuses são seus “Reis”.

O próprio Vaticano confirmou que os anjos da bíblia são provavelmente ET’s.

Assim na Terra como no céu ... Assim como cá é lá ... Essas e outras frases conhecidas pelo mundo principalmente no mundo religioso, nos diz que nosso mundo 3D é uma cópia do mundo dos céus, onde REINAM os “deuses”.Ao morrer, ou desencarnar, você mantém sua consciência PRESA e APEGADA às idéias mundanas da Matrix 3D, onde aprendeu com TODA a Polarização possível que esse mundo lhe programou e assim, muitos perambulam por aqui achando que ainda estão na 3D, não aceitaram a morte ou desencarne.



Como cá é como lá, obviamente há também uma hierarquia imposta e regida pelos Reis Anunnakis onde estabelecem aos recém retornados à 4D uma nova “chance” de vida retornando à 3D para cumprir mais um Ciclo Reencarnatório. O que este recém chegado não sabe é que não se lembrará de nada e assim, poderá ser RE-programado (de NOVO) pela Matrix. Isso é tudo o que ELES querem de você. Que continue sendo um RECURSO comportando-se como gado e sendo fiel ao “regimento” Celeste do “Rei dos céus” (O Pai todo poderoso). Ao regressar à 3D você não se lembrará de sua passagem anterior à 4D, e menos ainda da 3D anterior. Perceba que sua memória Almica foi manipulada desde um corpo 3D com DNA alterado para que você não possa se lembrar e assim, jamais poderá Evoluir Espiritualmente. ESSA É A GRANDE MANIPULAÇÃO !!! ELES manipulam e administram o Ciclo Reencarnatório na Terra.




Não estou dizendo que TODOS os que encarnam na 3D são “conduzidos” por ELES, mas a grande maioria sim. Os poucos que encarnam sem serem provenientes desse ciclo manipulado são seres com alguma capacidade superior (isentos de manipulação Anunnaki) e que “escapam” desse controle reencarnatório ao qual estamos "atrapados", e chegam aqui para poderem ajudar a divulgar um DESPERTAR espiritual e nos auxiliar a entendermos o que somos, quem somos e nossa situação atual.
Quando despertamos e entendemos essas verdades, compreendemos melhor nossa situação e nos tornamos realmente livres para escolhermos o que queremos. Assim. exerceremos por direito o chamado Livre-arbítrio. Essa era pra ser a natureza de nossa existência, o que na verdade, sempre foi. Esse é o “empreendimento” DELES – Um controle espiritual na 4D e simultaneamente um controle mental na 3D.Assim, ELES se certificam que seus propósitos se perpetuem.Por isso, CUIDADO !!!
TODAS as religiões foram manipuladas para atenderem à seus “mestres”, ao seu “Pai” e criador ... pense nisso, não é a toa que iremos pra 5D, certo ?!!
Complementando:
Mantenha-se VIVO
Entenda a NEXUS
Grande abraço!

FONTE: http://rmorais76.blogspot.com/


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O FRÁGIL E INSUFICIENTE MODO LINEAR DE PENSAR: A NECESSIDADE DO PENSAMENTO COMPLEXO

As pessoas adquiriram hábitos de pensamento, um sistema de referência e valores dos quais se tornaram prisioneiras. – (Simone de Beauvoir)


Os grandes colapsos e as catástrofes mundiais que começam acirrar, sobretudo, a partir do século XX, para citar algumas: as duas grandes guerras mundiais, as crises econômicas, as disputas territoriais, os governos totalitaristas, a bomba atômica, a degradação intensa da vida animal e do meio ambiente, entre inúmeras outras barbáries, têm colocado um ponto de interrogação sobre qual o rumo do planeta e de nossas vidas.
Muitas vezes esse questionamento se faz através de um cínico "não estarei aqui mesmo quando tudo isso explodir" ou um intenso sentimento de vazio e perda de identidade: em última instância, tem levado ao niilismo em seu último grau, tal como preconizado por Nietzsche no século XIX.

As barbáries não são novidades, sempre existiram, basta passar os olhos pela história. O que chama atenção é que os grandes progressos que chegaram até o momento atual não tem dado conta de possibilitar uma vida melhor para uma ampla maioria de pessoas, e o pior, tem trazido danos irreparáveis à vida e ao planeta. E dificilmente poderíamos dizer que os colapsos do nosso tempo são mais amenos que o sangue já derramado durante as civilizações na Idade Antiga e Idade Média.

A escola de Frankfurt, sobretudo através de Adorno, Habermas e Horkheimer, com aguçados olhares críticos, nos mostra muito bem que a razão do homem não tem servido para melhorar a vida, pelo contrário, tem levado à degradação da vida em suas múltiplas faces; levando a civilização do progresso e da técnica, com sua razão instrumental, voltada principalmente para o lucro, à barbárie.

Certamente que muitos não têm consciência das considerações teóricas que estão por trás dos seus modos de compreensão da "realidade" – o método pelo qual pensam -, mas o pensamento está muito bem cristalizado por um método de pensar que vingou desde Sócrates: o pensamento linear-causal; que na modernidade se encorpa através do método lógico-formal e vai perpassar todas as áreas da ciência, produzindo, "logicamente", conhecimentos unilaterais e reducionistas.
Esse modo de pensar ou admite "isso" ou "aquilo"; ou é capitalismo ou é socialismo; ou é verdade ou é mentira; ou é certo ou é errado;

ou é bonito ou é feito; ou é razão ou é emoção; ou é corpo ou é mente… é a lógica do "ou/ou" que não compreende que corpo e mente são indivisíveis, que o certo pode ser errado e vice-versa. Os exemplos são inúmeros e estão nos itinerários ordinários do dia-a-dia além de se apresentar também no palco científico que só recentemente vai começar a questionar-se.
O conhecimento científico possibilitou o avanço da técnica, e muitos ainda acham que o progresso é uma linha contínua que está sempre em evolução.

Porém, todo esse "progresso" se mostra incapaz de resolver problemas como a violência, a exclusão e a miséria. Tal progresso possibilitou a produção de alimentos que seria capaz de alimentar todos os seres humanos, mas tampouco isso é uma realidade, pois muitos morrem de fome e desnutrição a cada hora.
Para a nossa cultura atual, é favorável aquele conhecimento que produz resultados materiais, em outras palavras, quanto mais lucrativo for o conhecimento ele é etiquetado como sendo o melhor, e em nome do capital o pensar não produz questionamentos pois ele já vem embalado e entrega o pensado. Trata-se de uma visão ingênua e unilateral da vida, pautada na divisão entre subjetividade e objetividade; conhecimentos humanos – que cada vez mais as pessoas desprezam – e conhecimentos exatos ou técnicos, colocados cada vez mais nas vitrines da educação mercadológica.


Um modo de pensar mais abrangente, que dê conta mais consistentemente das múltiplas forças e fenômenos que estão presentes num dado momento em um dado fenômeno, urge como uma necessidade fundamental para tentarmos fazer com que o progresso, a técnica, e o desenvolvimento racional, sejam favoráveis à Vida em sua totalidade; contudo, sem incorrer em totalitarismos, deslumbres ingênuos, messianismos, fanatismos, tribalismos, fundamentalismos ou utopismos.
A questão não é quem está certo e quem está errado, não é um jogo de nós contra eles. O certo e o errado só as conseqüências nos dirá, a história nos dirá. E parece que ela tem nos dito até agora que estamos errados.

No entanto, a questão não é etiquetar as nossas ações como ou isso ou aquilo, é necessário saber que todos nós podemos estar certos e errados ao mesmo tempo. É necessário abrir mão do pesado fardo de valor que os homens têm usado, muitas vezes em nome dos seus fundamentalismos, para fixar essências imutáveis nas coisas.
Quem ainda duvidar de que precisamos urgentemente de começar a pensar sobre o nosso próprio pensamento, sobre a forma como olhamos e entendemos o mundo, duvidar da nossa própria capacidade de conhecimento, basta olhar a história recente e ver um filme do horror que jorra sangue e faz vidas voarem pelos ares; crueldades e barbáries cometidas em nome disso ou daquilo: em nome do patriotismo; em nome da ciência; em nome de Deus; em nome da honra; em nome do Bem; em nome do comunismo; em nome do capitalismo, etc.


O pensamento complexo não se vê como dono da verdade, ele não etiqueta o mundo em verdades e mentiras, pois todo conhecimento é parcial e a realidade em sua totalidade é inatingível; e se compreendo dado fenômeno é uma compreensão que se sabe mutável no tempo e no espaço, pois nenhum fenômeno permanece imutável: se olho para a economia hoje compreendo muitos aspectos, mas se olho tempos depois o conhecimento anterior poderá valer somente em alguns pontos, ou poderá ser totalmente descartável; diz-se que a economia está e não é "assim". O complexo como norte do pensamento compreende que nós somos a nossa única salvação, e para tal, é necessário (re)pensar a nossa forma de pensar e de lançar olhares sobre o mundo.


Pensamento linear

Pensamento linear ou linear-cartesiano é sem dúvidas o mais predominante modo do homem pensar, tem suas raízes em Aristóteles e é "sacralizado" com Descartes na modernidade. Sustentado pela lógica binária, esse tipo de pensamento identifica os opostos de um dado fenômeno e a partir deles desenvolve correlações que irão sustentar a formulação de um dado conhecimento.

Olhando para um dado fenômeno a partir dessa lógica, o objeto de estudo é dividido em várias partes, em seguida é feito uma análise de cada parte em separado. Formula-se várias categorias, grupos e subgrupos para classificação e especializações de cada parte. Fica evidente o quanto é fragmentador e reducionista esse tipo de lógica de pensamento.


Nesse sentido, o objeto de estudo "desaparece" em partes que obstruem a visão do "todo". Separando o objeto cada vez mais em partes menores para análise, perdem-se as relações do fenômeno com os vários contextos. Reduz-se o fenômeno a meros conceitos "cristalizantes" como se eles por si só se esclarecessem. Essas construções teóricas, embora possam mudar ao longo do tempo, enquanto não se "descobrem" outras relações, são tidas como universais e válidas em qualquer tempo e espaço.

A medicina, por exemplo, dissecou o corpo humano em sistemas, órgãos, células, genes… e criou um campo de conhecimento altamente classificatório; o olhar do médico tradicional é abordar os sintomas relatados pelo paciente e a partir daí buscar relação com o corpo teórico conceitual já bem aceito pela comunidade médica. Em geral, reduz o indivíduo a um conceito: ele tem câncer! Assim, com uma visão mutilada, o tratamento busca atingir somente as "partes" que estão prejudicadas, desconhecendo a relação da doença com o corpo como um todo: espírito e corpo – divisão, aqui, utilizada apenas para efeito didático. Certamente que isso tem seus benefícios, porém, ressalta-se aqui, o desaparecimento do homem como um ser concreto imerso em um plano simbólico que exerce impacto em todas as suas manifestações.

Evidente que isso não se verifica apenas na medicina, mas sustenta todo campo científico e boa parte da filosofia. Felizmente, dentro de cada campo, começam a se questionar esses pontos de vista já arraigados, de tal forma que o pensamento complexo encontra ai suas brechas para tentar jogar mais luz nos reducionismos científicos – contudo, este não tem a pretensão de ser verdade absoluta, o que seria um contrasenso devido as seus princípios, entre eles o da incerteza que será melhor abordado em momento oportuno.

Pensamento sistêmico


Esse tipo de pensamento é mais recente, surgiu no século XX em contraposição ao reducionismo do pensamento linear, mais precisamente a partir de 1920, na área da biologia com Goldstein e a noção do organismo compreendido como um sistema. Entre os seus vários expoentes, destaque para Fritjof Capra, físico austríaco, contemporâneo, que sistematizou os princípios do pensamento sistêmico em suas obras, entre elas, a principal, denominada "A teia da vida – uma nova compreensão científica dos sistemas vivos" (1996).

O pensamento sistêmico interliga as partes, diminui a distância entre elas e permite pensar o conjunto (sistema) sem perder de vista todos os seus componentes. Admite-se nesse modelo, que na articulação entre as partes, podem surgir novas propriedades (idéias novas), o que seria impossível de visualizar a partir do pensamento linear.
Nesse modelo, busca-se analisar as partes separadamente mas sem perder de vista a sua relação com o todo, além, de conceber que o todo compreende relações que não estão nas partes, e vice-versa. Simplificando: a análise das partes em separado revela um conhecimento; a análise das partes em relação com o todo revela um conhecimento com propriedades novas, e por fim, a compreensão do todo também revela um conhecimento com propriedades novas.

Sistemicamente, o pensamento visa o ordenamento das relações a partir do modelo mecanizante bem característico do pensamento linear. Admitem-se no pensamento sistêmico, novas propriedades que surgem com a totalidade, dentro de uma compreensão que busca dar uma ordenação sistemática entre as variáveis que são aprendidas em um dado fenômeno.
Enquanto o pensamento linear é estrutural, o pensamento sistêmico é não-linear e se baseia no estudo dos padrões, conjuntos e totalidades. Embora inovador em relação à lógica binária, o pensamento sistêmico também incorreu nos seus reducionismos, entre eles, a idéia ilusória de que podemos controlar uma infinidade de variáveis, que os controles e modelagens que exercemos em determinados contextos podem ser automaticamente estendidos para sistemas maiores e mais complexos.

O pensamento sistêmico, com seu grande potencial, infelizmente, transformou-se em mais um modelo reducionista. Criou a ilusão de que o pensar nesses moldes daria conta de captar a totalidade sem perder de vista a ligação entre as partes, e que a partir daí poderia se ter o "poder sobrenatural" de ter um controle absoluto das coisas. Não precisa discorrer muito para dizer o quanto a idéia do homem de exercer controle sobre as coisas, ter previsibilidade e ordenação, de maneira "prepotente", desconsiderando o incognoscível e a casualidade, tem contribuído para grandes catástrofes na História: o "comunismo" soviético (que não é aquele proposto por Marx) é um exemplo que pode ser visto com um início e fim; o capitalismo também, porém ainda está a nos apresentar seus colapsos: a crise financeira recente que estamos vivendo, que teve seu auge no rombo dos valores imobiliários americanos, é só mais um exemplo do fracasso da crença do homem na previsibilidade das coisas.
O pensamento complexo não nega, como dito no início, os modelos de pensamentos linear e sistêmico. Ele dá um passo além: inclui a aleatoriedade, a incerteza, a imprevisibilidade e impossibilidade de separação entre sujeito e objeto. Homem, máquina e ambiente estão intrinsecamente interligados.

Admite-se a importância desses dois modelos de pensamento. O homem precisa reduzir o objeto a várias variáveis, concebê-las analiticamente e criticamente, também precisa uni-las e buscar a compreensão da totalidade e das relações entre as partes com o todo e do todo com as partes. É altamente importante que consigamos trabalhar com previsibilidade, ordenação e classificação do mundo, é uma questão até mesmo de sobrevivência. Mas não somente: é necessário abandonar a ilusão de que podemos ter controle e previsibilidade absolutos sobre o mundo;
É necessário desautorizar o nosso conhecimento como imponente e tomar consciência que a razão não é uma "lei divina" que irá nos dar todas as soluções – contudo, isso não significa ser irresponsável e se jogar ao acaso, mas clarificar, jogar luz com toda amplitude possível, sabendo que não somos o centro do universo, que podemos falhar e que a razão também desconhece, o que deveria aumentar ainda mais a nossa busca por uma conhecimento complexo e não simplificador.

Com a ilusão do controle o homem tem negado a si mesmo, na medida em que se afasta, coloca-se fora do mundo, como se fosse algo indiferente aos fenômenos. Assim, ele busca pintar o mundo com as cores da causalidade, da linearidade, da ordem e de um "explicacionismo" em termos quantificáveis e classificáveis cada vez mais redutivos e simplificados. Ele crê, dessa maneira, não participar, não interagir com os fenômenos, nessa fuga ele não se vê como responsável pelos colapsos e catástrofes que ocorrem.

Fonte: http://www.eternoretorno.com

sábado, 13 de novembro de 2010

TODOS SENTEM QUE ALGO ESTÁ PARA OCORRER



Aguardar a ocorrência de um evento significativo é muito estressante, e por todo o seu ambiente ilusório os sinais de estresse são visíveis.Claro, esse evento significativo é o despertar da humanidade na total consciência de sua Unidade com Deus e, portanto, de uns com os outros.Quando isto ocorrer, o estresse que está por toda parte irá se dissolver junto com o medo, a ansiedade e o julgamento, para ser substituído pela paz eterna e a alegria extática.Todos os humanos sabem dentro de si que isto está para acontecer, apesar de que a grande maioria não tem conhecimento consciente disto.


Este conhecimento interior e profundo - já que está muito abaixo do seu conhecimento consciente - leva à impaciência severa e ao estresse, que então são atribuídos às várias situações pesarosas que ocorrem por todo o planeta, tal como guerras, clima extremo, movimento da Terra, crise econômica e até discórdia em relacionamentos pessoais.Todos sentem que algo de enorme importância está para ocorrer e estão procurando por sinais disto nessas situações pesarosas.Entretanto, essas situações são provocadas por seus medos coletivos e ansiedades e não pela proximidade do momento do seu despertar.Entendam, portanto, que o modo de liberar ou aliviar seu estresse e ansiedade é focalizar sua atenção e sua intenção no despertar.Mantenham-se lembrando de seu divino Destino - a existência eterna no êxtase da Presença amorosa de seu Pai.


Isto os confortará e os fortalecerá para continuarem mantendo a visão do infinito Amor de Deus por vocês.Todos vocês operarão como campos energéticos de amor, paz e tranquilidade, o que vocês verdadeiramente são, conectados uns aos outros, e neutralizando e submergindo os campos de medo e ressentimento que tantos estão expressando.A energia que vocês, Trabalhadores da Luz, estão captando e compartilhando por mais e mais tempo é consideravelmente poderosa e é amplificada exponencialmente por seu Pai divino, que se regozija com a sua vontade de compartilhar indiscriminadamente o Amor d'Ele com suas irmãs e irmãos.A aura brilhante que envolve o Planeta Terra conforme vocês avançam no despertar é de uma radiação maravilhosa e de uma beleza tão grande, e ela continua a se intensificar a cada momento, quando cada um de vocês continua a se focalizar em qual será o resultado divino de sua energia fundida com a de Deus.


Nenhum de vocês que está experimentando a ilusão e o sofrimento está aqui por acaso neste ponto da evolução.Todos vocês escolheram ser voluntários para estar aqui e ajudar no processo de despertar, sabendo que seria uma tarefa extremamente árdua que vocês estavam assumindo, e vocês são muito honrados por isso.Por ser a Vontade divina e por Deus estar amplificando enormemente sua energia radiante e linda é que o seu despertar irá ocorrer precisamente como foi planejado e prometido.Quando vocês despertarem, virem e entenderem o que vocês conquistaram por sua intenção focalizada na ajuda para realizar o plano divino, vocês serão dominados pela surpresa e alegria, sabendo que sem a sua cooperação amorosa isto não teria ocorrido e sabendo também que sempre foi a Vontade de Deus e a sua que esta conclusão formidável fosse alcançada, e que qualquer outro resultado não poderia ser remotamente possível.


Vocês sabem e sempre souberam que a alegria eterna seria sua quando sua tarefa fosse concluída, e, conforme esta hora se aproxima rapidamente, continuem a focalizar sua intenção amorosa no resultado.Façam com que isto aconteça, já que vocês sabem que acontecerá.


recebida por John Smallmanem 03 de novembro de 2010







CALENDÁRIO MAIA - PRÓXIMA ACELERAÇÃO DO TEMPO E DA CONSCIÊNCIA - NÍVEL UNIVERSAL!

Faz tempo que ando pensando em fazer esse post, só que ando sem "tempo"...hehehe. Talvez seja exatamente porque estamos vivenciando outra aceleração do tempo, consoante preconizado pelos antigos maias. No livro O Código Maia, de Barbara Hand Clow, ela esclarece bastante sobre esta aceleração e seus significados, com ênfase nos cálculos e estudos sobre o Calendario Maia realizados por Carl Johan Calleman, que é relativamente dissidente de Arguelles. Para Calleman, o fim do tempo termina em 28.10.2011. Para Arguelles, em 21.12.2012, quando termina a Longa Contagem do ciclo de 5.125 anos.


Em resumo (muito resumidinho mesmo, porque a coisa toda é muuuito complexa...hehehe), Calleman explica que o calendário maia expõe a evolução da consciência, a evolução de tudo o que existe, em padrões de tempo cíclicos: "...os nove submundos são estruturas cristalinas ativadas em sequência no núcleo central da Terra. Cada um dos nove submundos está associado a fases evolutivas ou classes de consciência que são frequências de criação aceleradas por fatores de 20, e que todas as nove frequências atingem o ponto máximo simultaneamente. Ou seja, todas as nove frequências de criação estão acontecendo ao mesmo tempo, como a Nova Sinfonia de Beethoven, equivalente a 20 vezes 20 e assim por diante. ... quando subimos a pirâmide, o tempo acelera, mas desacelera ao descermos. Portanto, a evolução está acelerando exponencialmente. Agora estamos no meio do Oitavo Submundo (o Galáctico), que começou em 1999 e dura apenas 12,8 anos!" (pg.70/71 da obra citada).


Onde quero chegar e da forma que entendi é que estamos nos momentos finais desse ciclo, que termina em 28.10.11, segundo Calleman, ou 21.12.2012, segundo Arguelles. Os Maias registraram todo o ciclo de tempo e de evolução, no qual partimos de uma unidade (início celular da vida), nos direcionamos para a dualidade e, no final do ciclo, assim como o Oroboros, retornamos à unidade. É uma evolução da consciência. E, conforme os estudos de Calleman, mencionados no livro o Código Maia, da Barbara Hand Clow, o tempo é dividido em 9 ciclos, que ele chamou Submundos, sendo que estamos terminando o ciclo Galáctico (no qual a consciência galáctica é aflorada) e ingressaremos, agora em novembro de 2010 no primeiro dia do Submundo Universal, que acredito ser dia 11.11.2010 (afinal, é a data do Portal 11:11 - no 7º dia - 13º Céu do Submundo Galáctico), ciclo este que terminará em 09.10.2011, quando entra mais um pequeno ciclo de aceleração da consciência até o dia final e 28.10.2011. Neste ciclo do Submundo Universal devemos evoluir para a unificação de nossas consciências.
Ou seja, estamos caminhando para a consciência da unidade, de que somos todos um. Por isso essa coisa toda de globalização, de uma só humanidade etc, é parte de nossa evolução consciencial. Calleman, no citado livro, refere-se à data dessa aceleração de consciência em 03.11.10 até 08.10.11 e depois 09.10.11 até 28.10.11, quando ingressaremos na consciência Universal.


Cada aceleração do tempo é multiplicada por 20 e se sobrepõe à aceleração anterior. Logo, o tempo esteve acelerado 20 vezes mais de 1999 até agora, início de novembro/2010 e estamos vivenciando a segunda aceleração, novamente 20 vezes mais (que entendo ser sobre os 20 anterior). O que significa isso? Que são 20 x 20 = 400. Ou seja, cada dia, a partir de agora e até 08.10.11 corresponderá a 400 dias, esse período todo corresponderá a 400 anos. Sentiremos o tempo passando, a correria toda, muuuito mais acelerada e a condição, a possibilidade de ampliar a consciência estará igualmente super acelerada, o que entendo tratar-se de uma enorme oportunidade de rápida ampliação e tomada de consciência/iluminação nesse período. O processo começa a acelerar mais ainda. Por isso que, também, entendo que os espiritualistas falam tanto que agora é o período de queima do carma. Só pode ser mesmo, porque, pensem bem: estaremos vivendo o equivalente a 400 anos num periodozinho de um único ano, o que equivale a umas 4 ou 5 vidas, no mínimo. Temos que aprender a resolver nossos carmas com todo esse tempo, a nível de consciência, é uma grande oportunidade e, cá com os meus botões, entendo que a exigência será maior nesse período.


O que ando percebendo é que a oportunidade é grande, por isso mesmo a prova é mais difícil. É como querer entrar numa faculdade bem difícil - o exame é, igualmente, mais difícil. Na espiritualidade não é muito diferente disso. Quanto maior o grau, o nível da espiritualidade, mais difíceis são as coisas, as provas para se alcançar tal nível. Moleza, é só nas trevas...hehehe. Aliás, ando percebendo que as pessoas em geral estão fazendo muita confusão sobre o que significa o período de luz e alta espiritualidade que está para se iniciar, acreditando que tudo será muito mais fácil, moleza etc. Mas é exatamente o contrário!!!

No período de luz as provas são muito mais difíceis. O nível de consciência das pessoas que ingressam no período de luz é um pouco maior, então a exigência também é maior, ao contrário do período de trevas, em que o nível de consciência é menor e não se pode exigir muito delas porque não têm condições pra isso. Penso que é só comparar com algumas coisas básicos que temos na matéria, como as escolas. Não se cobra muito das crianças no primeiro grau, mas conforme elas vão avançando a níveis mais elevados, no colégio, na universidade, a cobrança vai sendo maior. Na pós-graduação então...hehe, nem pensar - a exigência é cada vez maior. É o mesmo que irá rolar no futuro período de luz.

As exigências serão maiores e não menores.
Outra coisa que meus guias andam buzinando direto no meu ouvido para escrever a respeito aqui no blog é sobre o equívoco de achar que no período de luz isso aqui será tipo um paraíso. Nada disso. A Matrix vai sofrer um upgrade, o nível geral do teatrinho a ser montado na Terra, para as almas viverem suas experiências, será mais tecnológico, mais avançado, com melhores condições de vida na matéria do que agora, relações baseadas na igualdade, liberdade e fraternidade, aquela coisa toda de Aquário, mas não será o paraíso na Terra, tampouco as almas aqui encarnadas estarão concorrendo a Budas iluminados.


É uma melhora geral e uma mudança radical de paradigmas, não terão mais famílias, não terão mais governos, vamos voltar a interagir com os extraterrestres, com outros planos, etc, mais ainda estaremos na Matrix, tentando viver experiências que nos levem em direção à iluminação e, ao contrário das impressões gerais, a cobrança nesse período será muito maior, a dificuldade será muito maior, não terá mais a moleza do período de trevas, no qual as almas aqui são tratadas praticamente como crianças, que pisam na bola e todo mundo fica "ah, é criança, tá aprendendo, deixa pra lá, não pega tão pesado" - Nada disso!!! Pisar no tomate nos próximos tempos será muito mais difícil e naõ vai mais ter essa de passar a mão na cabecinha e deixar pra lá. Por isso o pessoal anda prevendo a conformação de uma ditadura global. Vai ser mesmo, comparado com esta época, porque não vai mais haver possibilidade de escolher fazer coisas erradas, mas não vai mais ter como se esconder - tudo será "às claras", todo mundo vai saber tudo sobre todo mundo, ñao terá como se esconder.

Logo, pessoal, a coisa vai ser "fogo"...hehehe. Os tempos da moleza do período de trevas estão acabando...hehe, aproveitemos enquanto podemos essas facilidades, porque em breve não mais poderemos fazer o que quisermos, dar umas pisadinhas na bola e sair ilesos e impunes, muitas vezes sem ninguém saber...hehehe. Essas farrinhas vão acabar...
Abraços
Conexão Sirius

FONTE: http://conexaosirius.blogspot.com


OBS: Desculpinha que o pessoal da Nasa arranjou para justificar a aceleração do tempo CLIQUE AQUI

Fonte: http://evoluindo-sempre.blogspot.com/

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

MAÇONARIA, O PANO DE FUNDO DA KU KLUX KLAN


Albert S. Pike, advogado e general sulista durante a guerra de secessão, foi um dos dirigentes máximos da maçonaria do rito escocês no novo continente e chefe de justiça da Ku Klux Klan, o Clã do Círculo. A KKK foi fundada por outro maçom, Nathan Forrest, a princípio com o objetivo declarado de defender os brancos do sul das possíveis revanches da então escravizada população negra, assim como dos abusos que pudessem cometer as vitoriosas tropas do norte.

A importância de Pike entre as sociedades secretas do século XIX nos Estados Unidos é bem comprovada por alguns de seus títulos, como o de Soberano Pontífice da Maçonaria Universal ou Profeta da Franco-Maçonaria. Pike sempre foi fascinado pela possibilidade de ver em vida um governo mundial. Pike conseguiu o controle absoluto de todos os maçons do planeta, fundando o novo e reformado Rito do Paladino, criando três conselhos, um em Charleston, na Carolina do Sul, outro em Roma e o terceiro em Berlim. Emitiu um documento, em junho de 1889 (somente 119 anos atrás, atingindo através dos canais de comunicação da época gente como nossos avós e bisavós), em que Pike dirigia algumas instruções e uma advertência aos 23 conselhos supremos da Maçonaria Mundial: "a vós, instrutores soberanos do grau 33, os décimos: tens que repetir aos irmãos de graus inferiores que veneramos um só Deus, a quem oramos sem superstição. Só nós os iniciados do grau supremo, devemos conservar a verdadeira religião maçônica, preservando pura a doutrina de Lúcifer. Ele, sim, Lúcifer, é Deus.

A religião filosófica verdadeira e pura é a fé em Lúcifer, que é o Deus da Luz, é bom e luta a favor da humanidade."Um século antes, em 4 de julho de 1776, os delegados dos 13 estados, do território conhecido como Nova Inglaterra, proclamaram e assinaram sua declaração de independência e sua constituição como nação. 9 das 13 assinaturas pertenciam a franco-maçons. Outros 9 assinantes dos artigos da nova confederação também pertenciam às lojas maçônicas. A Carta Magna mais antiga em vigor na atualidade, teve seus avalistas e todos eram maçons. O maior monumento erigido em homenagem à maçonaria encontra-se na Virginia, junto ao Rio Potomac, o George Washington Masonic National Memorial.

Os principais símbolos dos Estados Unidos são a bandeira e o grande selo. Na bandeira, as cores utilizadas foram as mesmas usadas pela revolução francesa - vermelho, branco, azul - e os signos insistiam no número 13 - 13 barras e 13 estrelas. Quanto ao selo, foi aprovado oficialmente o desenho de Charles Thomson, mestre de uma loja maçônica na Filadélfia, dirigida pelo maçom Benjamin Franklin, que participou da empreitada. No anverso do selo aparece uma águia calva americana, com as asas abertas, levando sobre o peito um escudo com o campo superior azul e o inferior repartido em 13 barras brancas e vermelhas. Em uma das garras, porta um ramo de oliveira e na outra, 13 flechas. Sobre ela há um desenho circular em cujo interior 13 estrelas compõem a nova constelação, insinuada na bandeira, que de nova não tem nada, porque é possível reconhecer com clareza uma estrela de Davi. Finalmente, a ave carrega no bico uma faixa em que está inscrito o primeiro lema oficial dos Estados Unidos: "e pluribus unum" (de muitos um). No reverso do selo um triângulo com um olho em seu interior com a legenda "novos ordo seclorum" ou "a nova ordem mundial"*.

O verdadeiro sentido da legenda está relacionado com um conceito astrológico próprio da simbologia iluminista (na realidade dos Illuminati): a Nova Era de Aquário, que deve suceder a Era de Peixes ou Era Cristã, condenada a desaparecer no século XXI (alguns dados obtidos no livro "Illuminati", de Paul H. Koch).O grande selo dos Estados Unidos é uma representação simbólica da missão e da identidade do povo americano, retratadas pela grande águia, a pirâmide, os lemas e os símbolos numerológicos. A águia é um símbolo milenar da visão espiritual, sem a qual os indivíduos perecem. O ramo de oliveira, na garra direita, indica a lei do Príncipe da Paz, pela autoridade de Jeová, nome hebráico de Deus, provém do verbo ser. Literalmente, "aquilo que era, é e será".

Assim, Jeová significa aquilo que transcende ao tempo e espaço - eu sou o que eu sou, como o senhor revelou-se a Moisés**. O dom deste nome - a palavra perdida da maçonaria - foi a graça concedida às 12 tribos predestinadas a estabelecer a paz na América por meio da realização da consciência interior do Cristo, ou do Hiram Abiff (arquiteto que construiu o templo sagrado a pedido do Rei Salomão) maçônico como arquétipo do eu verdadeiro de cada indivíduo - o mediador entre a alma e o espírito universal. O número 13 é utilizado com tanta freqüência no grande selo que até mesmo aqueles que adoram coincidências vêem-se forçados a admitir que o criador do selo tinha algum propósito em mente. O espírito de 76 é composto de dígitos que somam 13. A águia segura 13 flechas na garra esquerda. O brasão, ou escudo de armas, é composto de 13 partes. Os lemas "annuit coeptis e pluribus unum" possuem 13 letras. A pirâmide apresenta as 13 fileiras da maçonaria.A América tem uma dívida de gratidão infinita com George Washington.

Chamaram-no de grande preservador, grande salvador, comparando-o a Moisés, Josué e Gideão. Como nenhum outro, Washington colocou sua vida, sua fortuna e sua honra sagrada a serviço da causa. Washington foi um mestre maçom - na verdade, ele foi o mestre dos mestres. E Deus favorece nossos empreendimentos - "annuit coeptis", assim afirma o lema no grande selo dos Estados Unidos - outrora chamado, depreciativamente, de emblema estúpido da fraternidade maçônica. Maçônica sim, mas estúpido, jamais. O lema "novus ordo seclorum" representa a grande obra assumida pelos maçons - o estabelecimento da nova ordem das eras*. Acima de tudo, os israelitas americanos devem fazer o que fizeram seus antepassados - pedir o auxílio do Senhor. Afinal de contas, o Deus da história, o Deus de Israel, conduziria seu povo ao longo de tantos milênios para depois abandoná-lo no último instante? Não, se ele permanecer leal a si mesmo e a nós. É o EU SOU O QUE EU SOU do êxodo, é o fiel e verdadeiro, inalterável. A palavra da revelação.

É uma ironia que o nome Saint Germain não esteja na boca de cada colegial e que cada presidente americano não busque sinceramente seus conselhos. Pois foi Saint Germain quem encarnou como o colonizador portador do Cristo, Cristóvão Colombo, e como o fundador da Franco-Maçonaria, Francis Bacon (alguns dados obtidos no livro "A alquimia de Saint Germain", Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet).


* Um governo mundial, uma direção única, uma religião, um exército** Moisés estava sob efeito de poderosos alucinógenos quando desceu o Monte Sinai e apresentou ao povo judeu os dez mandamentos, afirma Benny Shanon, professor da Universidade Hebráica de Jerusalém. Segundo o professor, o consumo de psicotrópicos fazia parte dos rituais religiosos dos judeus mencionados pelo livro Êxodo, na Bíblia.

FONTE: FERNANDO TIBIRIÇA