A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente, num círculo muito restrito do seu ser potencial. Elas fazem uso de uma parte muito pequena de sua consciência possível.


( William James)


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Intimidade com o silêncio

Não é teu amigo, aquele que te afasta do Silêncio que você é, aquele que se relaciona com você pautado na linha do tempo. Sobre o amanhã ninguém sabe, por mais que se pense a respeito e trace planos. Então, por que manter em pauta aquilo que não está nas suas mãos?


Ouça a voz do Silêncio e descubra como será o amanhã. A única percepção plausível é que o amanhã será exatamente como o agora: silencioso. E, o que quer que aconteça, saiba que você carrega consigo todos os artifícios, todos os instrumentos necessários para lidar com o que se apresenta.


Se olhar com inteligência e clareza, se estiver acesa dentro de você uma referência silenciosa, ninguém poderá perturbar o seu silêncio. E, nesse sentido, todos são seus amigos. Mas enquanto não for viável, esteja atento quanto a mente, ao agente da Matrix.


As pessoas ao seu redor, enquanto mente, não querem que você desapareça, pois o seu sumiço põe em xeque a existência deles próprios, imagens mentais. Então, eles estão o tempo todo lembrando “quem você é” – segundo a mente, é claro. Por esse motivo a busca pela Verdade se torna perturbadora.


Porém, o convido a permanecer exatamente onde você está agora, nesse exato momento. Onde quer que você esteja, veja e abrace o Silêncio que você é. Prontamente se tornará palpável que você é aquilo que você esteve buscando desde sempre.


Uma vez “des-coberto”, esteja na companhia do Silêncio e daqueles que são amigos do Silêncio – este encontro resulta em celebração.



Nenhum comentário:

Postar um comentário