A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente, num círculo muito restrito do seu ser potencial. Elas fazem uso de uma parte muito pequena de sua consciência possível.


( William James)


sábado, 19 de outubro de 2013

Quem Apertou Nossos Colhões?



De fora para dentro, a primeira camada de nosso eu é a do "como vai?" e do "Vou bem, obrigado". É a camada superficial, e precisamos dela para conviver no mundo, do 
jeito como ele está. É chamada de Máscara.

Tem pessoas que param por aí. Têm muito medo do que se passa lá dentro, em seu mundo interior. Costumam ter sonhos cheios de simbolismo, que não lhe fazem sentido. 
Sua relação com as duas outras camadas é assim, distante e confusa.

 
A segunda camada é a do Inferno Pessoal ou, como chamava Wilhelm Reich, a Camada Secundária. E a terceira é a do Eu Verdadeiro, do Eu Superior, da Criança Divina. O 
Pingo Divino que habita em nós. Ou, simplesmente, A Fonte.

Há pessoas que avançam no processo de evolução da consciência e passam a ter um contato mais direto com sua Camada Secundária. Com todos os bloqueios emocionais,
dores e carências não resolvidas do passado.
Já contatam seu Inferno Pessoal e isso é o primeiro Ato de Coragem, pois decidiram enfrentar o Primeiro Medo.

O Primeiro Medo não é o medo de si mesmo. Pois da mesma forma que não existe o "medo da felicidade", o "medo da vida" e o "medo do amor", não existe o medo de si mesmo, do Eu Verdadeiro, da Fonte.

O Primeiro Medo é o de não conseguir lidar com a dor que ficou arquivada em seu Inferno Pessoal.

Não nascemos com esse medo. Ele começa a ser inserido no ser humano durante o parto traumático desta civilização. Prossegue com a educação frustradora dos sonhos e com o processo de socialização. Esse processo de formação do medo de lidar com a dor – seja física ou emocional - é a base de toda a programação usada pelos psicopatas da elite dominante para escravizar o resto da humanidade.

Eles fazem essa programação, apertando nossos colhões e deixando a mão lá. De vez em quando, dão uma apertadinha para nos lembrar.

A elite dominante tornou Sigmund Freud conhecido porque ele fez uma descrição do Inferno Pessoal, como se fosse a  essência de nosso eu, servindo tal descrição para se 
acreditar que esta camada é parte de nosso ser. E, portanto, a única opção é controlá-la para conviver com ela. Ou seja, analisa, analisa e nunca se sai da merda.

Dois alunos de Freud, Wilhem Reich e Carl Jung, avançaram para a camada do Eu Verdadeiro. E Reich, como foi longe demais para tal elite, teve seus livros queimados
em praça pública, foi preso em 1950 e morreu na prisão.

Como doem os colhões

Não sei fazer uma descrição precisa para o público feminino a respeito de como doem nossos colhões. Para ilustrar, posso dizer que é terrível porque, se alguém os aperta,
perdemos nosso controle, pois não sabemos se o aperto vai aumentar nem se vai parar.

E é isso que nos programa e nos deixa temerosos. Depois da experiência traumaticamente dolorosa, já programados, nosso subconsciente evita que venhamos a assumir que aquela mão maldita ainda está ali, ameaçando apertá-los. E mais ainda, nosso subconsciente, evita que tomemos consciência que aquela mão tem um dono e que este dono é o FDP que nos escraviza.

Nosso subconsciente fica a favor do torturador obscuro da elite dominante. E passa a dissimular, fazendo-nos crer que somos escravizados por algo abstrato. Por um
abstrato "sistema de nossa civilização".
Não somos escravizados por algo abstrato. São pessoas que fazem isso de modo intencional, proposital e estratégico. São pessoas – não posso chamá-los de seres humanos – que são donos das mãos que apertam nossos colhões.

E o público feminino, apesar de não ter testículos – graças a Deus! – sofre a programação feita pela elite predadora da mesma forma que nós, os portadores.

É por causa desse medo subconsciente de ver as mãos do torturador, que as pessoas têm medo de olhar para o céu e perceber:

"Sim, é verdade! Não é teoria da conspiração de alguns maluquetes! Estão mesmo pulverizando veneno em nossos céus!"
Têm medo de confirmar que as trilhas químicas que geram câncer e Mal de Alzheimer não são as trilhas normais que os aviões deixam, ao condensar o vapor d’água.

Não! É mais fácil aceitar ser envenenado, quieto e calado, para não despertar a ira do dono daquela mão maldita. É mais fácil ter seus filhos envenenados, ter seus pais
envenenados, morrendo de doenças graves. É mais fácil aceitar tudo, desde que não seja aquela mão aumentando o aperto em seus colhões.

Também tenho medo que me apertem os colhões. Mas se não fosse pela covardia da maioria, os psicopatas da elite escravocrata é que teriam medo de bilhões de nós.
As pessoas são responsáveis ao optarem por não perceber. 
Não faz diferença fechar os olhos, quando os psicopatas da elite dominante apertam os nossos colhões. A dor não diminui. A vantagem de manter os "olhos abertos",
ou seja, de se manter desperto, percebendo o que está acontecendo e quem está fazendo acontecer é que você poderá fazer parte da estratégia de se libertar deste
pé no saco (mão no saco) que é essa elite torturadora que domina a civilização.

Mas vamos sair dessa segunda camada, pois a solução não está nela. E para dissolvê-la, precisamos sair dela. Sair "para dentro", não para fora. Sair para a camada interior, para o Eu Verdadeiro, para a Fonte.

O que de fato somos

Fomos criados para viver a maior parte do tempo na Fonte, ligados ao pingo divino que trazemos em nós. Essa é a nossa grandeza, como seres humanos. Por isso, a "elite 
apertadora dos colhões alheios" nos programa, criando a segunda camada, a do Inferno Pessoal. Para nos separar de nossa verdadeira grandeza, de nossa Fonte de Poder. Essa separação é a "Queda do Paraíso". Claro que desde milhares de anos esses psicopatas vêm alterando fontes de informações, inclusive livros sagrados. É papo furado que quando o homem acessou o conhecimento ou quando deu
sua primeira transada com Eva, caiu do paraíso. Eva precisaria ser muito mal de cama! Na verdade, é com Eva que podemos retornar ao paraíso. Não por dar uma transada, mas por viver uma relação de amor intensa, plena, com orgasmo total, envolvendo a sexualidade, a afetividade e a espiritualidade.

Por isso, a elite dominante banaliza o amor. Por isso, ela atua separando os impulsos sexuais dos impulsos afetivos. Separando a região da pelve da região do peito. Por exemplo, incentivando a barriga tanquinho, cronicamente 
contraída, impedindo a passagem da energia biológica. Por isso, atua para a separação e conflito do homem com a mulher. Porque um pode ser o estímulo para o outro retornar ao paraíso… Ou para criar raízes no Inferno Pessoal.

Quando se entra em êxtase, em estado de ampliação de consciência, entra-se em contato íntimo com o si mesmo e com o cosmos. A felicidade é inabalável e a percepção é livre porque, nesse momento, não há mãos agarradas, apertando nossos colhões.

Quem entrou em estado de êxtase, sabe o quanto o amor pode ser profundo. É capaz de olhar para os seres humanos (com mãos apertando…) e sentir compaixão. Mas tal como Jesus Cristo, pleno de raiva, sabe dar chicotadas no chão e dizer:"Desperta! Sai dessa covardia!"

Quando saímos do contato com a Fonte, permanecemos com a capacidade de ser percorridos pela avassaladora energia de vida e de amor. E, ao nos depararmos
com a injustiça – e como é injusto viver com mãos apertando nosso saco! – sentimos uma raiva tão avassaladora quanto o amor. Não é que não temos medo da dor, é que a energia emocional é muito intensa para ficarmos calados perante a injustiça.

Quem resgatou o poder de amar intensamente, também resgatou o de sentir raiva intensa. Mas não raiva assassina. É a raiva tal como o Criador nos presenteou: A raiva a favor da vida.

E, perante os hediondos crimes que a elite psicopata vem cometendo contra a humanidade, só um demente é capaz de sorrir. É muito insano não sentir raiva! Raiva não é o oposto de sabedoria. Demência, sim.

É preciso parar de andar pela rua, olhando para o chão ou para o celular! É preciso olhar para o céu, e ver o que estão fazendo todos os dias, em nossa cara. Pesquisem! Na Internet tem informações sérias sobre Chemtrails.
Já assistir televisão não é pesquisar, é apenas reforçar a programação.

Nós, que somos humanos de verdade, vamos vencer. Mas é possível que, antes, vamos perder. Porque chegamos muito perto do domínio global. No entanto, veja porque é importante que o máximo de pessoas despertem.

Porque precisamos informar ao Universo que queremos liberdade!

Menos de 1% da humanidade já é capaz de fazer o Universo ouvir nossa espécie e entender que estamos sérios em nosso propósito!

Temos poderosas forças sutis a nosso favor. Mas elas não 
desrespeitam nosso livre arbítrio. Nosso despertar é a resposta de que essas forças sutis precisam para se juntarem a nós.

E temos a poderosa força e orientação da Luz que, originada no Criador, às vezes vem a nós diretamente, às vezes, através de nossos semelhantes do plano espiritual. Você acha que Wilhem Reich parou de trabalhar em sua obra para a liberdade do ser humano? Que ele não continua a nos inspirar? Que Gandhi abandonou sua obra? Ou que John Lennon, mais um dos que foram assassinados a mando da elite escravocrata, não continua sua obra?

Estamos com as mãos da elite criminosa apertando nosso saco. Mas não  estamos sós. Este é um momento incrível de todas as vidas que já vivemos na Terra. Precisamos, como espécie, informar ao Universo qual é nossa vontade.

Fonte: Vitor Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário