A maioria das pessoas vive física, intelectual ou moralmente, num círculo muito restrito do seu ser potencial. Elas fazem uso de uma parte muito pequena de sua consciência possível.


( William James)


domingo, 7 de agosto de 2011


A noção de que seres alienígenas estão se intrometendo de forma negativa em nossa sociedade e nosso desenvolvimento não surgiu recentemente. Antigos textos gnósticos já se referiam à presença dos Arcontes em nosso sistema solar.

Entrevista dada na Sexto Sentido, por John Lash no seguinte link: SEXTO SENTIDO

Abaixo, a transcrição de partes dessa entrevista (quem quiser ver o texto completo, acessar o link acima):

"Segundo diziam os discípulos de Simão Mago – tido por alguns como o mais antigo dos gnósticos – o deus supremo havia produzido por emanação um princípio feminino, do qual, por sua vez, nasceram os anjos; e estes anjos é que modelaram o mundo visível. Esses anjos seriam seres inferiores que, com inveja da mãe, a arrastaram para a Terra, forçando-a a suportar encarnações degradantes.

Parece que esse conceito entra em choque com o que você pensa a respeito do assunto, pois mantém o conceito judaico-cristão de um deus masculino. É isso? Esse conceito é o mesmo daquele que diz que a Terra é obra do Demiurgo, ou Iadalbaoth, ou são coisas diferentes? O gnosticismo entende que a Terra, o mundo material, não é criação de Deus?
Por seus textos, eu entendi que sua postura não aceita a existência de um Demiurgo. E mais, os anjos aos quais se referem alguns textos seriam os arcontes?


John Lash: - Isso levanta algumas questões complicadas. Existe muita confusão em torno desses assuntos, devido à desinformação e equívocos ligados aos Mistérios. Simão Mago não foi o mais antigo gnóstico, mas um dos últimos sobreviventes. Ele é o mais antigo iniciado dos Mistérios Levantinos cujo nome é conhecido porque ele foi a público protestar contra a cristandade. Muitos dos iniciados permanecem anônimos. Considere essa paráfrase dos ensinamentos dos Mistérios sobre a criação:
“A deusa Sophia, uma emanação do Pleroma (Deus Supremo), agiu de uma forma incomum e produziu 'os anjos' (arcontes), uma espécie aberrante. Essas entidades não são 'os arquitetos do mundo material', pois a terra em que habitamos é uma transformação da própria deusa: é seu corpo, transformado num planeta. Os arcontes, ou anjos desviados, são cyborgs do sistema planetário no qual a Terra foi capturada, mas não da Terra. Os anjos desviados não têm inveja de Sophia, mas da humanidade, porque nós temos o que eles não têm: inteligência divina. Eles tentam cegar e enganar a humanidade com a religião, especialmente as doutrinas do pecado e da salvação. O líder dos anjos arcontes é Jeová, o Deus Pai. Essa é uma entidade alienígena, um deus impostor, o Demiurgo” – isso é o que os gnósticos alegam, inclusive Simão Mago.


Para os gnósticos e os videntes iluminados dos Mistérios, a Terra é a expressão sagrada da Deusa. Todo o mundo material dos sentidos é insuflado com a presença da divina Sabedoria, Sophia. O Demiurgo não criou o mundo material, mas ele quer nos fazer acreditar que criou. A religião impõe a crença de que o chefe dos anjos arcontes desviados criou este mundo. Os gnósticos refutam essa crença.
Já se falou que esse tipo de conceito a respeito da verdadeira natureza do mundo está relacionado com conceitos originários da Índia. É correto afirmar isso? Qual a relação entre eles? Em outras palavras, parece que se vê uma inversão da situação apresentada pelo cristianismo. Iadalbaoth/Demiurgo queria que os seres humanos ficassem na ignorância e para isso criou o tabu sobre a árvore da sabedoria. Mas Sophia enviou a serpente e, dessa forma, obtendo sabedoria, o homem pôde combater Iadalbaoth.


O conceito indiano de maya não significa ilusão, mas a manifestação, a aparência tomada pelo que é real. Da forma que eu entendo as escolas tântricas, o mundo é uma manifestação real, como um sonho vívido. Não é uma ilusão a ser dissolvida ou uma prisão da qual escapar. Nós somos limitados não pelo mundo material, mas pelo condicionamento de nossas mentes e sentidos. A gnose é um processo de descondicionamento que nos permite perceber a sublime realidade de nosso mundo e a magia de nossa própria existência.
Os gnósticos inverteram o mito bíblico da queda. Eles ensinam que Iadalbaoth e os anjos desviados querem impedir a humanidade de perceber a realidade, percebendo o mundo como ele realmente é, infinito, misterioso, cheio de maravilhas. Sophia ajuda a humanidade dando-nos a chance de ter visões iluminadas (ou heightened awareness, consciência intensificada, como Castaneda a chamou). Nossa percepção sensorial é intensificada pela kundalini, a serpente do Jardim do Éden.

A serpente é a aliada de Sophia. Paradoxalmente, nós precisamos ser iluminados para ver a verdadeira natureza do mundo sensorial. O mundo não é um véu de ilusões, mas uma projeção mágica da imaginação divina. Os gnósticos não sustentam a visão negativa de maya típica da metafísica indiana. A rejeição do mundo foi falsamente atribuída aos gnósticos por seus inimigos, os Pais da Igreja e, depois, por estudiosos que têm a estúpida arrogância de escrever sobre coisas que eles nunca viveram.
Também se falou que, quando o Pai envia Cristo para salvar a humanidade, é Iadalbaoth quem instiga os judeus a matá-lo. Existe referência a isso no gnosticismo? Como complemento, nos livros de ficção científica de Philip K. Dick – de quem já se disse que tinha uma aproximação muito grande com o gnosticismo – ele já citou, em forma de fantasia, é claro, que a frase de Jesus na cruz – "Pai, perdoai-os, eles não sabem o que fazem" – era uma referência à ignorância em que se vivia neste mundo, sem ter o conhecimento completo da realidade. Isso é correto?


Sim, existe um texto de Nag Hammadi que apresenta um cenário como esse. No entanto, nem todos os textos de Nag Hammadi são completa ou genuinamente gnósticos. Grande parte do material de Nag Hammadi representa uma versão tardia, misturada e um tanto decadente dos ensinamentos dos Mistérios. Mescla crenças cristãs com ensinamentos gnósticos parcialmente compreendidos. Às vezes, é quase impossível separar essa tapeçaria confusa.

Na visão de iniciados como Simão Mago, Jesus não morreu para salvar o mundo. Ninguém pode fazer isso. A gnose é um caminho de iluminismo que não requer ou glorifica o sacrifício. O conceito de absolvição é puramente cristão, mas os gnósticos eram pagãos que não abraçavam esse conceito. Os gnósticos não propunham que fôssemos perdoados por nossa ignorância. Isso é uma perda de tempo. Nós todos temos a responsabilidade e a capacidade de superar a ignorância. O caminho da iluminação não revela a verdadeira realidade que se esconde "por trás" ou "além" das aparências do mundo material; ele revela a verdadeira realidade "dessas" aparências.


A presença da divina Sophia permeia o mundo sensorial. Para os gnósticos, as sensações do corpo humano são essencialmente sagradas. O problema é que nós não experimentamos de fato a realidade nua e crua de nossas próprias sensações. Se o fizermos, vamos experimentar o Divino.
Cristo nunca salvou ninguém. A crença na salvação "do alto" (além da humanidade) é um implante ideológico dos arcontes, os anjos desviados. Os gnósticos advertem que isso é uma mentira perversa. O Christos gnóstico, uma forma distinta do Cristo do catolicismo, é um revelador, não um redentor. O que nos salva é o conhecimento. Não há valor remitente no sofrimento. Freqüentemente, é inútil e não nos ensina coisa alguma. Não pode ser compensado por algum plano divino conduzido por autoridades paternais. Essa é a radical mensagem gnóstica.


Hoje em dia parece haver muitas pessoas e grupos falando sobre gnosticismo e gnose, ou afirmando-se gnósticos. Existe um exagero ou modismo nesse sentido? Como definir os verdadeiros gnósticos e evitar os grupos que se aproveitam do momento? Complementando: hoje em dia se fala muito sobre o uso de drogas como forma de se atingir o êxtase, e mais ainda, sobre xamanismo. No Brasil, talvez o trabalho mais conhecido seja o de Terence McKenna. Você acredita que essas práticas ainda são possíveis hoje em dia, tendo em vista a postura contrária e criminalizante do Estado, e com o medo generalizado relativo ao uso de qualquer tipo de droga? É possível atingir o êxtase gnóstico sem uso de drogas?
Sim, está havendo algum tipo de renascimento. Eu não estou envolvido com nenhum desses grupos. Pessoalmente, penso que a gnose pode ser praticada por indivíduos em pequenos grupos ou amigos, sem precisar fundar igrejas, rituais, regras e assim por diante. Essencialmente, a gnose é xamanismo experimental ilimitado. É um caminho livre de organizações institucionais, ritos, sermões e outros jogos religiosos.


O trabalho de R. Gordon Wasson, Albert Hofmann e outros, mostra que os antigos Mistérios envolviam o uso ritual de plantas psicoativas, como o kykeon dos Mistérios Eleusinos. Robert Graves foi uma das primeiras pessoas a demonstrar que o xamanismo europeu era enteogênico, usando plantas de ensinamento sagradas (N.E.: a palavra em inglês, entheogenic, foi criada em 1979 por um grupo de etnobotânicos. Segundo eles, são designadas como enteogênicas apenas as drogas indutoras de visões e que tivessem sido utilizadas em rituais xamânicos ou religiosos. No entanto, num sentido mais livre, o termo também é aplicado a outras drogas, naturais e artificiais, que induzem alterações de consciência similares àquelas documentadas na ingestão ritual dos enteogênicos tradicionais. Uma tradução livre da palavra poderia significar "aquilo que induz uma pessoa a estar em Deus").


Isso está de acordo com a minha visão da gnose como tendo se desenvolvido a partir de uma forma pré-histórica de xamanismo. As plantas sagradas psicoativas não são drogas. Terence diz: "A mensagem psicodélica é uma mensagem antidrogas". Álcool, tabaco e a medicina prescritiva são drogas que matam e incapacitam milhões de pessoas. Não existe evidência clínica ou médica de que plantas psicoativas, incluindo os cogumelos mágicos, nos causem qualquer tipo de prejuízo, física ou mentalmente. Essas plantas são ilegais porque o uso delas liberta as pessoas dos condicionamentos sociais e faz com que se virem contra o Sistema, a Igreja, o governo etc. As plantas sagradas nos mostram a falsidade do mundo humano.

Eu não sou totalmente contra o uso de drogas para a prática gnóstica. Mas a prática ritual com plantas psicoativas tem sido feita pela espécie humana por milhares de anos. Essa prática não pode ser erradicada sem destruir a própria espécie. Sempre vai continuar, de uma forma ou de outra, mesmo que seja proibida pelas autoridades, que temem perder o controle das pessoas cujas mentes são despertadas pelas plantas.
O mitólogo Mircea Eliade, autor do livro clássico sobre xamanismo (O Xamanismo e as Técnicas do Êxtase. Martins Fontes Editora), inicialmente disse que o uso de plantas psicoativas era decadente. Próximo ao fim de sua vida, ele mudou de idéia. Eliade admitiu que o uso ritual de alucinógenos foi essencial ao xamanismo verdadeiro, são. Atingir o êxtase gnóstico com plantas sagradas é uma disciplina de elite que nada tem a ver com o uso recreativo de drogas como MDMA (metilenodioxidometanfetamina, mais conhecida como ecstasy), ou comer cogumelos mágicos em situações sociais como raves e concertos de rock.


O que os gnósticos diziam sobre a maneira de nos livrarmos da influência dos arcontes? Que procedimentos ou posturas são necessárias para executar essa tarefa?
Encontrando os arcontes em sonhos lúcidos ou projeção astral, você pode se defender com "passes mágicos" como os que Castaneda propôs, ou com mudras e movimentos de corpo que se parecem com as artes marciais. Pratique movimentos de mão antes de cair no sono, de costas na cama. Apenas experimente e veja qual a sensação quando você faz certos mudras, posicionando suas mãos sobre o peito e a garganta. O efeito dos mudras defensivos é imediato e não pode ser analisado ou orquestrado. Para ação ofensiva, use respiração profunda e a força da raiva, da fúria assassina. Eu costumo dizer aos intrusos: "É melhor que você saiba onde se esconder!" E eles vão embora e se escondem. Você tem de ameaçar intrusos psíquicos, mas você precisa ser capaz de fazer com que suas ameaças tenham efeito. Como na vida real, você tem de estar disposto a matar psiquicamente, para se defender psiquicamente.


Considerando a confusão da humanidade nos tempos modernos, uma falsa intervenção pode ser tão efetiva quanto uma real. Isso simboliza a tática Arconte de nos fazer imaginar e acreditar em coisas que não são verdadeiras, e a aceitar a simulação pela realidade. Nesse sentido, os gnósticos ensinaram, esses primos alienígenas podem desviar a raça humana de seu curso evolutivo adequado e verdadeiro.

A melhor proteção contra os arcontes é a kundalini despertada. Quando incitada, o Poder da Serpente produz um selo de proteção luminoso. Os gnósticos ensinavam que nós podemos repelir os arcontes dizendo a eles que nós sabemos quem eles são – ou seja, nós conhecemos a história da humanidade e sua conexão com a deusa da sabedoria, Sophia.



2 comentários:

  1. Olá, acabei de adicionar seu blog à lista de blogs do BLOG DE BLOGS
    http://blogdlinks.blogspot.com/


    Abraços,
    Celia

    ResponderExcluir
  2. Olá Célia ! Muito obrigado por compartilhar informação !

    Grande abraço ! =)

    ResponderExcluir